• Postado por Tiago

O presidente do sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Pesca de Santa Catarina (Sitrapesca), Manoel Xavier de Maria, o Manequinha, acusa o presidente do sindicato dos Pescadores Profissionais, Artesanais e Aprendizes de Pesca de Santa Catarina (Sindpesca), Osvani Cantalicio Gonçalves, de Floripa, de não ter registro profissional de pescador. O ministério da Pesca confirma a denúncia. Osvani nega as acusações e jura que tem o registro de pescador desde 2004.

Manequinha exibe documentos que garante comprovar que Osvani não tem registro como pescador. Por isso, o sindicalista da capital não teria legitimidade pra representar a categoria. Um dos documentos, com data de 2006, é cópia de um ofício assinado pelo próprio Osvani e dirigido à secretaria Especial de Aquicultura e Pesca (Seap), hoje ministério. Ele pede o registro de pescador profissional. O pedido foi negado porque não conseguiu comprovar que é pescador.

O DIARINHO descobriu que sindicalista manezinho é funcionário da Comcap, uma empresa da prefa de Floripa que, entre outras atividades, recolhe o lixo da cidade.

Ministério da Pesca confirma

Cezer Luiz Cerutti, chefe de escritório do ministério da Pesca em Forianópis, confirma que Osvani não tem registro de pescador profissional junto ao órgão. O pedido de Osvani foi negado porque ele tem vínculo empregatício com a companhia de limpeza urbana da cidade e não trampa na área da pesca.

Osvani desmente tanto Manequinha quanto o representante do ministério da Pesca. Na caruda, garantiu ao DIARINHO que tem registro junto ao ministério desde 2004. “Eu tenho registro no ministério pra atuar e eu sou um pescador nato. Eles, aí em Itajaí, que não são. São uns marajás”, esbravejou. Osvani confirmou que é funcionário da Comcap, mas garante que tá licenciado do trampo na empresa da prefa.

Tentou até fundar uma federação

Pra completar a lambança, Manequinha tem a cópia de uma convocação feita pelo Sindpesca, lá de Floripa, para que os sindicatos de pescadores profissionais, artesanais, marisqueiros e afins se reúnam em uma assembleia pra criar uma federação de sindicatos de todo o país.

O presidente do Sitrapesca de Itajaí lembra que já existe uma entidade que reprenta todos as organizações de pescadores. É a federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Afins (FNTTAA), na qual o próprio Sindpesca, de Floripa, é filiado. Osvani teria suspendido a assembleia depois de ter levado uma carcada da tchurma da FNTTAA. A lei brasileira não permite que duas entidades representem a mesma categoria.

Teimoso, Osvani disse que lá pelo meio do ano que vem vai trazer o debate novamente à tona, porque a FNTTAA é nacional e que agora pretende formar uma federação estadual.

Não é de hoje a briga

A briga dos dois sindicatos não é nova. Na edição de 15 de setembro o DIARINHO publicou a denúncia de que o Sindipesca (o de Floripa) taria cobrando, através de um boleto, a contribuição sindical de R$ 73.

A cobrança, acusava Manequinha do Sitrapesca, de Itajaí, seria ilegal porque a contribuição sindical, que é obrigatória por lei, é descontada diretamente na folha de pagamento dos pescadores e não por fora, através de boletos.

  •  

Deixe uma Resposta