• Postado por Tiago

Um caso escabroso deixou muita gente chocada em Balneário Camboriú. Foi preso um velhote acusado de abusar da neta de cinco anos. Uma galera, que vive na rua 2000, no centro, viu ele passar a mão nas partes íntimas da menininha. A polícia militar baixou na baiuca pelas 21h de quarta-feira e deu o teje preso no nojento.

Vizinhos da baia onde Valério Hodecker, 72 anos, tava hospedado com a neta ficaram de cabelo em pé com a cena. Contaram pros milicos que passaram pela casa e deram um bizu pra dentro do quarto. Encontraram o velhote acariciando a coitadinha e usando as mãos onde não devia. Dentro da casa também tava o irmão mais velho da vítima, um menino que não teve a idade divulgada.

Assustado, o pessoal tratou de simandar do local e ligar pros meganhas. Os fardados baixaram na casa e guentaram o sem vergonha. Ainda conversaram com a pequerruchinha, que confirmou que o tio-avô tinha feito o que não devia. Com a confirmação, meteram a pulseira de aço em Valério e o levaram pra delegacia do Menor e do Adolescente.

A delegada Ruth Hein conta que na depê a história se inverteu. Confusa, a criança disse aos homisdalei de plantão que o tio-avô nunca tinha feito a safadeza com ela. Apesar da negativa da garotinha, a vizinhança da rua 2000 tratou de contar tudo o que viu e meteu a bronca nas costas de Valério.

Com as denúncias, o vovô ganhou uma vaga no imundo xilindró do Balneário mais badalado do sul do mundo. Agora a justa decidirá se ele ficará enjaulado.

Moram em Brusque

A menina, o mano e Valério são de Brusque e veraneavam numa casa alugada no Balneário. Os pais da criança, que trampam na city vizinha, só apareciam por aqui durante o fim de semana e confiavam os cuidados da filhotinha ao tio-avô.

Depois da desgraceira, os familiares da menina tiveram que dar um pulo aqui. Ontem de manhã, eles acompanharam a coitadinha durante o exame de corpo delito feito no Instituto Médico Legal (IML), pra constatar se rolou penetração. “Esse caso será considerado estupro tendo ou não a relação sexual”, acrescenta a delegada. O laudo deverá sair ainda esta semana.

A conselheira tutelar Andrelize Nicolau conversou com a pequenina, mas não quis passar detalhes do papo. Apenas disse que não há certeza das acusações e que ainda não é possível afirmar se rolou ou não o abuso.

Como a guria voltou pra Brusque com os pais, foi acionado o conselho tutelar da Terra do Marreco pra que faça acompanhamento psicológico da família. “Para que não se crie um trauma tão grande para esta criança”, explicou Andrelize.

Nem a doutora Ruth ou integrantes do conselho tutelar souberam dizer se o abuso contra a menininha tinha rolado outras vezes.

  •  

Deixe uma Resposta