• Postado por Tiago

Presos da Colônia Penal Agrícola de Palhoça botaram as asinhas de fora e aprontaram poucas e boas ontem de manhã. Durante uma revista, eles atacaram dois agentes prisionais e bateram o dos coitados. Sobrou até pro diretor do presídio, que levou um cambau de um dos semvergonhas.

A confusão começou de madrugada, quando cinco enjaulados siscapoliram do xadrez depois de terem aberto um buraco através de uma caixa de luz. Pela manhã, os agentes faziam um pentefino de rotina, quando foram surpreendidos pelo motim.

Os presos não quiseram deixar que os homis dessem a geral e tentaram oferecer uma graninha pra que não metessem os zoios nos objetos proibidos. Como os agentes não aceitaram, dois deles levaram uns sopapos e um teve a roupa rasgada pelos vadios.

Eles armaram um auê tão grande, que foi preciso reforço do pessoal do departamento de Agentes Prisionais (Deap) da capital manezinha e do batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da puliça Militar. Oito cabeças da arruaça foram identificados e separados do resto da bandidagem.

Dois deles foram colocados numa baratinha pra serem transferidos. Nisso, um dos trastes conseguiu soltar-se das algemas e sentou o sarrafo no mandachuva do cadeião, Alexandre Moisés. No fim das contas, o vadio que começou o ataque aos agentes foi mandado pro presídio da capital e o restante pra penitenciária de São Pedro de Alcântara.

Durante a tarde, os homis do Deap terminaram o pente-fino nas celas. Eles recolheram uma renca de celulares, uma porção de maconha e barras de ferro, que seriam usadas em tentativas de fugas.

  •  

Deixe uma Resposta