• Postado por Tiago

A galera que era cliente da Hapha e ficou sem saber o que fazer com o fechamento da autoescola, que fica na avenida Joca Brandão, no centro de Itajaí, já pode começar a respirar aliviada. O lugar tá funcionando desde o dia 20, seguindo rigorosas normas impostas pelo Detran e, principalmente, pela procuradoria de defesa do consumidor (Procon) da prefeitura de Itajaí. A Procon peixeira deu mó puxada de orelha nos donos a autoescola e firmou com a empresa um termo de ajustamento de conduta (TAC), exigindo que ela indenize os clientes que se sentiram lesados.

O advogado Rodrigo Bucussi, da Procon, explicou que a indenização aos alunos que estavam matriculados na autoescola na época em que ela foi fechada, será proporcional aos serviços que faltaram ser prestados pelo estabelecimento. Bucussi disse que a próxima audiência com a Hapha tá marcada pro dia 15 de setembro, data em que a autoescola terá que entregar um relatório da atual situação dos clientes que recorreram à justiça.

O proprietário da Hapha, Gesiel Adriano Mendes, revela que mais de 100 alunos tavam tirando a carteira de motorista quando a autoescola foi fechada pelo Detran. “O aluno tem um ano pra fazer todas as provas e retirar a habilitação. Por isso a gente tá entrando em contato com todos os clientes para que retornem e concluam as suas aulas. Tem que ficar atento ao prazo”, alerta.

Gesiel disse que garante a conclusão do curso pra todos os alunos que estavam matriculados na Hapha. Também afirmou que o aluno que não tem como terminar as aulas vai receber a sua graninha de volta. O telefone da Hapha é o 3348-4060.

O fechamento

A autoescola Hapha teve as atividades brecadas temporariamente pelo Departamento de Trânsito de Santa Catarina (Detran) na segunda quinzena do mês de junho. Os investigadores do órgão de trânsito acusam os donos da empresa de várias irregularidades. Entre as tretas supostamente feitas pela Hapha, estavam a falsificação de documentos, inversão das fases de emissão de CNH, demora no processo de emissão, certificados irregulares e o uso inadequado do dinheiro que era destinado ao pagamento de taxas.

O empresário Gesiel Adriano Mendes disse que a reabertura do estabelecimento foi garantida através de uma canetada da dona justa. “Tudo o que foi pedido pelo Detran nós readequamos”, garante o dono da Hapha.

  •  

Deixe uma Resposta