• Postado por Tiago

operacao-influenza-wilson-rebello-preso-024

Marcelo da Mota garante que não tá investigando o genro do Lula por novos rolos no porto de Itajaí

A revista Isto É, que é semanária e tem circulação nacional, traz em sua edição desta semana uma matéria que seria bombástica, se não tivesse sido desmentida por um procurador da República. A matéria, produzida pelo jornalista Hugo Marques, fala que o genro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marcelo Sato, está sendo investigado pelo Ministério Público Federal por tráfico de influência nas obras do porto de Itajaí. O procurador citado na matéria, Marcelo da Mota, contudo, falou com exclusividade ao DIARINHO, na noite de ontem, e negou que tenha dado informações ao repórter sobre as obras de recuperação do porto. Marcelo da Matae garante que Sato não tá sendo investigado por ele.

A reportagem da revista, em um determinado trecho diz: ?após as enchentes que atingiram Santa Catarina no fim do ano passado, o governo federal liberou R$ 350 milhões para a recuperação do Porto de Itajaí. Até hoje, porém, a obra não saiu do papel. Enquanto o porto corre risco de sofrer novas erosões, uma auditoria da Casa Civil acusou 19 tipos de irregularidades na contratação das empreiteiras, desde sobrepreço até falhas no projeto. Diante disso, o Ministério Público Federal (MPF) decidiu abrir investigação que envolve o assessor parlamentar Marcelo Sato, casado com Lurian, filha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o procurador da República em Itajaí, Marcelo da Mota, Sato estaria envolvido nas negociações das obras?.

As irregularidades encontradas na licitação que contratatou as empresas já foram objeto de matéria neste mesmo DIARINHO. Já o fato de o genro de Lula ter a ver com o rolo, seria novidade pra todo mundo. Pra confirmar a denúncia da revista, o DIARINHO entrou em contato com o procurador Marcelo da mota, na noite de ontem. O procurador desmentiu a revista e afirmou que não está investigando o genro de Lula. ?Não estou investigando, não é atribuição minha, eu nem estou em Itajaí?, garantiu.

O represente do MPF em Florianópolis ainda afirmou que na semana passada o pessoal da revista entrou em contato com ele pra pedir informações sobre a operação Influenza, desencadeada em julho de 2008. ?Eles perguntaram sobre a Influenza, se Sato teria sido citado. Eu disse que sim e que isso já tinha sido amplamente noticiado pela imprensa no ano passado?, afirmou ao DIARINHO. O procurador acredita que a revista fez confusão com a inesvtigação da Influenza e a atual confusão que está o caso das obras de recuperação do cais peixeiro.

O procurador disse ainda ao DIARINHO que não tinha lido a reportagem, mas garantiu que jamais afirmou que Sato estaria envolvido em alguma nova investigação.

Questionado se pretende processar a Isto É, Marcelo da Mota disse que primeiro pretende ler a revista. ?Só se a matéria for uma coisa muito absurda, porque não costumo ter esse tipo de atitude. Geralmente, tudo que comento com os jornalistas, com a imprensa, sai publicado corretamente?, finalizou.

Segue o bonde

A revista ainda cita que Sato participou de reuniões este ano em Brasília, incluindo encontros com o ministro da secretaria especial de portos (Seap), Pedro Brito, para acelerar as obras do porto de Itajaí. ?Eu estive na secretaria em companhia do deputado Décio Lima?, disse Sato à revista, que completou dizendo que participa das reuniões na condição de assessor, que nem se senta à mesa. ?Fico atrás do deputado?, garantiu o genro do presidente. Já o ministro Pedro Brito negou a participação de Sato nas reuniões na secretaria. ?Nunca houve agendamento desse senhor?, informou à Isto É, a assessoria do ministro. O deputado Décio Lima foi ouvido pela revista e também disse que Sato não participou dos encontros, pois não é tarefa dele. Décio disse que Sato é assessor de sua esposa, a deputada estadual Ana Paula Lima.

A matéria da Isto É ainda fala da investigação do Tribunal de Contas da União (TCU). A revista cita o conflito interesses na obra, já que uma das empresas que forma o consórcio que ganhou a licitação pra reconstruir o terminal portuário em Itajaí, a Construtora Triunfo, é acionista da Portonave, concorrente do porto peixeiro.

Sobre a Triunfo, Sato diz à revista: ?Essa Triunfo se une a todo mundo e eu não conheço a empresa e nem sei onde fica?, defende-se. O genro de Lula termina sua defesa na matéria falando que é inocente e ironizando: ?Vou entrar com um processo por empobrecimento ilícito. De 2003 para cá, só empobreci?.

  •  

Deixe uma Resposta