• Postado por Tiago

A procuradoria Geral do Estado ingressou com uma ação no Tribunal de Justiça para tentar suspender a interdição do cadeião peixeiro. Desde que foi proibida a entrada de bandido no cadeião, no dia 13 de novembro, o departamento de Administração Prisional (Deap) tá sendo obrigado a se virar nos trinta pra arrumar lugar para toda a bandidagem da região. A decisão dos desembargadores deve sair hoje.

A interdição foi determinada pelo juiz corregedor do presídio, Carlos Roberto da Silva, que não abre mão da exigência de reduzir a ocupação do presídio para no máximo 500 presos. O diretor geral do Deap, Nilson Júlio da Silva, conta que na última sexta-feira foi encaminhado um preso de Itajaí para que ele arrumasse um lugarzinho pro malandro. O Deap acabou levando o bandido pro cadeião de Florianópolis. “Nós não temos onde por os 168 presos que o juiz determinou que fossem embora”, desabafa Nilson.

O presídio de Itajaí está interditado desde que a polícia Militar e os agentes prisionais frustraram uma tentativa de fuga. Os bandidos tinham cavado um túnel de cerca de seis metros, que ligava as galerias ao lado de fora do presídio. Se o túnel não fosse descoberto, poderia ter ocorrido a maior fuga em massa da história do cadeião peixeiro. O buraco dava acesso pra mais de 500 presos deixarem as celas.

Com a suspensão da entrada de bandido no cadeião, a delegacia não tem onde enfiar a bandidagem. Na 1ª depê seis presos estão detidos aguardando vagas nas penitenciárias. Na 2ª depê, nove estão detidos desde o fim de semana sem ter pra onde ir. Os sete presos de Navegantes foram transferidos no final da tarde de ontem. Nilson disse que as delegacias da região estão ameaçando encaminhar mais 15 presos pra capital. O cadeião peixeiro está com um total de 651 presos, mas o local tem capacidade para 198 detentos, o que dá uma média de 3,28 presos para cada vaga.

  •  

Deixe uma Resposta