• Postado por Tiago

O professor da Univali, Rogério Cristofoletti, acha que mesmo não sendo mais obrigatório pra exercer a profissão, o curso de jornalismo vai continuar atraindo alunos. “São 400 escolas de jornalismo no país, é precoce falarmos em fechamentos”, acredita.

Ele sabe que a alunada tá de cabelo em pé com a novidade, e tenta tranquilizar a galera. “O mundo não acabou. O diploma não é mais necessário, mas não deixa de ser válido. E estudar não faz mal a ninguém”, comenta.

Já no sindicato dos jornalistas, o papo é outro. A diretora Elaine diz que a entidade vai continuar atuando. “Nosso papel é organizar os trabalhadores”, frisou, mas novas metas vão entrar em pauta. “A luta continua. Se a profissão tá desregulamentada, vai ter que ser criada uma nova lei pra regulamentar o registro”, avisa.

Ela sabe que a batalha vai ser longa e penosa. “Que chances temos de conquistar alguma coisa no congresso nacional? Tá cheio de empresários de comunicação lá. São os mesmos caras que forçaram a barra e conseguiram derrubar o diploma”, siqueixa. Mas lembra que a união faz a força. “É uma categoria apática e de repente isso pode ser interessante, porque agora tudo vai depender de mobilização”, carcou.

  •  

Deixe uma Resposta