• Postado por Tiago

A corrupção tem enchido o saco de tanta gente que tem sujeito até sugerindo medidas drásticas pra acabar com esse mal. É o caso do professor de português Juarez Rezende Araújo. Ele sugere pena de morte pros políticos que insistem em meter a mão no que é do povão só porque sabem que praticamente vão sair impunes.

O fessô afirma que é contra a pena capital pra qualquer pessoa. Acha que nem assassinos ou assaltantes merecem a pena de morte. Mas crê que seria uma medida plausível pra acabar de vez com a farra dos políticos corruptos no Brasil. “Defendo a pena para aqueles que tem condições de moradia, um bom salário, e mesmo assim ainda fazem da corrupção a sua palavra de ordem”, lascou. “Tenho certeza que no dia que político for para a cadeira elétrica, a pilantragem com o dinheiro público vai acabar”, acredita.

Opinião do cientista

O professor Sérgio Saturnino, do curso de ciências políticas e sociais da Univali, discorda da opinião do colega cabreiro. Ele concorda que hoje os políticos têm saído impunes dos crimes de colarinho branco, mas acredita que o processo de julgamento é que deveria ser modificado e não a sentença. “Acho que poderíamos ter penas mais acentuadas aos políticos e um processo de julgamento mais preciso e rigoroso”, analisa.

Saturnino afirma que penas capitais impostas em outros países não surtiram efeito e só geraram conflitos políticos internos.

Religiosos dão uma de Pôncio Pilatos

O DIARINHO procurou cinco religiosos de igrejas diferentes, mas todos lavaram as mãos e se omitiram de opinar sobre a proposta de pena de morte.

  •  

Deixe uma Resposta