• Postado por Tiago

O polêmico projeto de lei que prevê a diminuição do número de ambulantes que trampam nas praias de Bombinhas durante a temporada de verão foi retirado de pauta nos 45 do segundo tempo. Uma semana depois de passar pela primeira votação, o sindicato da categoria conseguiu maioria na oposição e trampa pra derrubar o projeto na próxima votação.

O projeto foi aprovado por seis votos a três em 28 de setembro e deveria ter voltado à votação na segunda-feira, mas foi retirado da pauta. Pro vereador oposicionista Jair José da Silva (PPS), a proposta só não foi votada porque os homens da casa do povo que apoiam a proposta se tornaram minoria.

Jair acha que a retirada do projeto é suspeita e promete levar o caso adiante. “Vou até o jurídico pra ver esse problema. Se o regimento (interno da câmara) disser que não é permitido tirar o projeto de pauta depois da primeira votação, a gente vai entrar com uma ação”, ameaçou.

Pra vereadora Maria de Fátima Espinosa da Silva (PDT), o projeto é inviável e não pode ser aprovado nem com as cinco emendas que preveem a inclusão de 10 vagas pros vendedores de redes e artesanatos e a redução de 30% no valor dos alvarás.

A galera da oposição ao projeto só se tornou maioria na câmara depois que o presidente do sindicato dos ambulantes, Vilmar Marchezzi, bateu perna e trocou uma ideia com os vereadores. “Fizemos uma composição com os vereadores e o projeto não vai passar”, conta, confiante.

Já o presidente da casa, Edson Tridapalli (DEM), nega a fofocalhada. Conta que o projeto foi tirado de pauta porque não houve consenso entre os colegas da casa do povo. Ele diz que pretende trazer a proposta à pauta dinovo na próxima sessão, que vai rolar em 19 de outubro. Quanto à retirada do projeto após a votação, o vereador garante que está tudo nos conformes. “Isso pode. É previsto. É entendimento da câmara e não temos a obrigatoriedade de votar o projeto logo em seguida”, explicou.

Relembre

Há uma semana os ambulantes começaram a se organizar pra lutar contra o projeto de lei que foi aprovado em primeira votação na câmara. A intenção é derrubar a proposta na segunda votação. A proposta prevê uma redução de 100 vagas aos ambulantes, sendo liberados alvarás só pros vendedores de picolés e redes. Os comerciantes de comidas e bebidas ficariam em locais fixos, nas ruas que dão acesso à praia.

  •  

Deixe uma Resposta