• Postado por Tiago

Ponte despencou durante a enchente de 2008

Tá enrolado pacas o projeto de construção da ponte entre os bairros Vila Real, em Balneário Camboriú e São Francisco de Assis, o popular Barranco, em Camboriú. O projeto da ponte que será construída sobre o rio deveria ter ficado pronto em 17 de dezembro, mas até agora não virou realidade por que a prefa calculou metragens erradas da área onde será a construção.

A empresa Iguatemi Consultoria e Serviços de Engenharia, de Floripa, ganhou licitação em 17 de novembro pra fazer o projeto de construção da ponte de concreto armado. Ela cobrou R$ 138 mil e 631 reais e tinha até o dia 17 de dezembro pra entregar os papélis prontos. Mas no meio do projeto a galera notou que faltava um detalhamento da metragem do local.

O secretário de Planejamento, Ney Clivatti, afirma que só no meio do trampo notaram que o solo da região é muito mole e teriam que aumentar o tamanho da estrutura. Com isso, precisaram fazer uma nova sondagem pra ter certeza do comprimento, qualidade do aterro e qual estrutura aguentará a demanda. ?Não adianta fazer o projeto sem a sondagem. Não adianta ficar chutando ponte?, lascou.

O abobrão garante que não tinha notado a pendenga antes. Reconhece que os técnicos da prefa tinham feito apenas três sondagens de cada lado, o que é pouco pra determinar as metragens de uma obra de grande porte. Se fosse tocada do jeito que estava, a ponte poderia ficar capenga ou até ser construída pela metade por falta de verba.

Como rolaram as festas de fim de ano e o pessoal da prefa entrou em período de recesso, a nova metragem do local voltou a ser realizada só este ano. Ney acredita que os cálculos serão concluídos até semana que vem. Com isso, a Iguatemi terá que entregar o projeto prontinho 30 dias depois do laudo.

Entenda o rolo

A prefa decidiu bolar um novo projeto de ponte no início do ano passado, alegando que poderia fazer uma obra melhor e mais barata. Antes do prefeito Edson Periquito (PMDB) assumir, o projeto acertado entre o ex-prefeito Rubens Spernau (PSDB) e o ex-chefão da SDR Gilberto Gadotti (PSDB) era pra construção de uma travessia com 150 metros e 14 metros de largura. Ela deveria comportar todos os tipos de possantes. Custaria cerca de R$ 10 milhões.

A antiga ponte pênsil que ficava entre os dois bairros caiu em novembro de 2008, durante a enchente. Desde então a comunidade teve que sivirar pra atravessar com bateiras ou cruzar a BR-101. Desde 15 de abril, uma balsinha com motora particular funciona no local pra fazer a travessia só de pedestres e ziquinhas. O barquinho funcionava só até a meia noite, mas o povão chorou e conseguiu ampliar a passagem até as 2h durante a temporada de verão.

  •  

Deixe uma Resposta