• Postado por Tiago

Ainda deve dar pano pra manga a denúncia contra a obra na rodoviária de Balneário Camboriú.  A suspeita é que o quebra-quebra taria rolando sem licitação, embora parte do terminal seja da responsa da prefa.  O caso chegou ao Ministério Público, mas essa semana o promotor Rosan da Rocha deu um não bem grande pra denúncia.  O sujeito que tá com a pulga atrás da oreia já tá bolando um novo papéli e promete pedinchar dinovo um bizú da construção suspeita.

A denúncia foi feita há duas semanas.  Um cidadão comum ficou desconfiado ao perceber que a reforma da rodoviária taria rolando sem licitação, apesar da prefa ser dona de parte do terminal.  Os cabeças da rodoviária e da procuradoria da prefeitura alegam que a administração é feita por um condomínio, montado pra tocar o terminal.  Com isso, não seria necessário abrir licitação pra obra.

Apesar da desculpa, o caso foi parar no Ministério Público.  Passou pelas mãos do promotor José Jesus Wagner e caiu agora pra análise do dotô Rosan da Rocha, que também tá com a responsa da 5ª promotoria.  Depois de olhar o papéli, o promotor indeferiu a representação por entender que falta fundamento da possível irregularidade apontada.

  •  

Deixe uma Resposta