• Postado por Tiago

Ainda deve render pano pra manga a reclamação contra a obra na rodoviária de Balneário Camboriú. A suspeita é que a obra taria rolando sem licitação, embora parte do terminal seja da responsa da prefa. O caso chegou ao ministério público, mas esta semana o promotor Rosan da Rocha disse um não bem grande pra denúncia. O sujeito que tá com a pulga atrás da orelha já tá bolando um novo papéli e promete pedinchar dinovo um bizu da construção suspeita.

A denúncia foi feita há duas semanas. O vendedor autônomo, José Arnaldo Ribeiro, 49 anos, ficou desconfiado ao perceber que a reforma da rodoviária taria rolando sem licitação, apesar da prefa ser dona de parte do terminal. Os cabeças da rodoviária e da procuradoria da prefeitura alegam que a administração é feita por um condomínio, montado pra tocar o terminal. Com isso, não seria necessário abrir licitação pra obra.

Apesar da desculpa, o caso foi parar no ministério público. Passou pelas mãos do promotor José Jesus Wagner e caiu agora pra análise do dotô Rosan da Rocha, que também tá com a responsa da 5ª promotoria. Depois de olhar o papéli, o promotor indeferiu a representação por entender que falta fundamento na possível irregularidade apontada.

O denunciante resolveu recorrer do canetaço do promotor. Pra não errar mais no pedincho, o homem até foi atrás da ajuda de um advogado pra fazer um documento dentro dos conformes. Arnaldo conta que passa pela rodoviária há 25 anos e começou a ficar com a pulga atrás da orelha este ano. Relembra que, antes, o síndico do condomínio era nomeado pela prefeitura. Desta vez o cara foi escolhido por uma convenção.

Como tá desconfiado, o vendedor autônomo resolveu usar o poder de cidadão dele e questiona se a verba é pública ou se é do condomínio. Ainda quer saber se a obra pode ser tocada sem licitação. “Minha suspeita é que tenha superfaturamento na reforma. Quero saber simplesmente se há prestação de contas”, lascou.

A obra

A reforma começou em maio. A rodoviária tá sendo pintada e estão sendo trocados o piso e o telhado. Segundo os administradores do terminal, o trampo tá orçado em R$ 300 mil. A verba pra bancar a reforma é do condomínio pago pelo pessoal que é dono de espaços na rodoviária, ou seja, a grana vem da prefa e dos R$ 2,30 cobrados pela taxa de embarque dos passageiros.

  •  

Deixe uma Resposta