• Postado por Tiago

DSC05758-1600

Bancada tucana acredita que CPIs são para tumultuar ambiente

Os tucanos resolveram botar ainda mais fogo na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú. A bancada do PSDB, composta pelos vereadores Dão Koeddermann, Fabrício de Oliveira, Moacir Schmidt e João Miguel Tatá, decidiu votar contra a abertura de mais duas CPIs propostas pelo líder do governo, Claudir Maciel (PPS), na última sessão da Casa. Os caras não aprovam a parada até que a CPI proposta por eles, que investigará supostas irregularidades na gestão do Hospital Santa Inês, seja concluída.

?Acho que estas CPIs que eles querem são apenas uma retaliação à CPI do Santa Inês. Eles querem desviar o foco, e isso nós não iremos deixar. Quando uma comissão for concluída, sou favorável a criar outras?, soltou o bicudo. Para ele, a Câmara não tem suporte para realizar três investigações simultaneamente, e por isso, é contra a abertura das outras duas.

O vereador ainda argumenta dizendo que se o governo realmente acredita que houve irregularidades na arrecadação tributária nas gestões passadas, ele deveria levar a denúncia ao Ministério Público (MP). ?Se for pra abrir CPIs em série, temos umas cinco ou seis para abrir, mas uma coisa de cada vez. Se eles quiserem levar a denúncia ao MP, eu vou até junto?, lascou.

Já para a bancada governista, os tucanos estão é tremendo de medo do que possa ser descoberto pelas comissões propostas. ?É claro que eles não querem, quando são eles que cometem alguma sacanagem, eles não podem querer mesmo?, afirma o vereador Nilson Probst (PMDB). O peemedebista rejeita a hipótese de retaliação, e diz que a bancada do partido aprovou a criação da CPI do Santa Inês, já que, segundo ele, o governo não tem nada a esconder.

Nilson diz ainda que, ao que parece, quem tem a esconder são as administrações passadas, todas tucanas. ?Somente as investigações iniciais sobre os impostos prescritos descobriram mais de R$ 30 milhões que não foram ajuizados. Só uma pessoa jurídica, um hotel, deixou de pagar R$ 13 milhões no ano passado, e isso eles vão ter que explicar?, falou.

?Independentes? divergem

Já os vereadores que se consideram independentes, José Carlos Hannibal (PP) e Orlando Angioletti (DEM), divergem em relação à criação das CPIs. O pepista segue a linha de raciocínio dos tucanos e acredita que cada CPI deve ser criada a seu tempo. ?Primeiro uma, depois outra. Não podemos tirar o foco das investigações, como eles estão querendo fazer?, disse Hannibal. Já Angioletti deve votar a favor da criação da bagaça, e disse que gostaria até de fazer parte de uma das comissões, se fosse convidado para tal.

  •  

Deixe uma Resposta