• Postado por Tiago

A puliça civil de Camboriú grampeou ontem um trabuco que tava em poder de um traste suspeito de ter cometido dois assassinatos nos últimos dias. A arma, um revólver calibre 32, foi encontrada na baia do cara. Ele foi chamado pra sisplicar e vai ter que contar direitinho por que escondia o berro.

Ontem à tarde, tiras da delegacia da capital da pedra, acompanhados de homis da central de operações policiais (Cop) de Balneário Camboriú e de Floripa, pintaram no bairro Cedro com um mandado de busca nas mãos. Eles bateram na casa de Roberto Lima Francisco, que fica na rua Leopoldina de Souza, bem perto do Morro do Inferninho, e entraram pra dar uma bizolhada.

Dentro da baia, escondido atrás da máquina de lavar roupa, foi encontrado um berro, que a puliça acredita que tenha sido usado pra mandar dois desafetos do cara pro além. O delegado Fábio Osório, responsável por esclarecer os assassinatos, não quis revelar quem o traste é suspeito de ter matado pra não melar as investigações.

Como a numeração da arma tava inteirinha, e o povão que esconde trabucos em casa tem até o dia 31 de dezembro pra regularizar a situação, Roberto não foi guentado por porte ilegal. Mas ele vai ter que sisplicar sobre a arma e sobre os dois assassinatos. “As investigações vão continuar”, avisou o delegado.

Aborrescente ganhou arrego

Pouco antes, os homisdalei já tinham bizolhado a baiuca de um aborrescente que é acusado de ter tentado matar um inimigo com cinco tiros na cabeça por causa de um rabo-de-saia, há pouco mais de um mês. O mini-malaco foi reconhecido pela vítima, mas mesmo assim continua livre, leve e solto. Tudo porque a dona justa considerou que o atirador, o dimenor L.C.L., 14 anos, é um cara gente fina e ainda não tinha aprontado nada antes de meter os balaços no desafeto. Phode?

Os tiras pintaram na baia de L., que fica na rua Monte Maipu, no bairro Monstro Alegre, pra tentar achar a arma usada na crueldade. Apesar do bizú cuidadoso, o berro não foi encontrado.

  •  

Deixe uma Resposta