• Postado por Tiago

 

Entre os presos está uma funcionária do postinho de saúde do bairro Monte Alegre

Tão atrás das grades os seis integrantes de uma quadrilha acusada de meter um sequestro relâmpago no empresário de Gaspar, Osni dos Santos, 40 anos, o Paxá, no mês passado. A trupe também é suspeita do assalto à casa da dona do hotel das Américas, em Balneário Camboriú, e de roubar cerca de R$ 78 mil em verdinhas, euros e reais. A ação aconteceu na manhã de ontem na Maravilha do Atlântico e em Cambu.

Policiais de Gaspar e da Central de Investigação da Polícia Civil de Balneário Camboriú acordaram com as galinhas e saíram pra cumprir as ordens de busca e prisão que a dona justa liberou. Eles bateram na porta de uma casa da rua Flamboyant, no bairro Monte Alegre, e guentaram Nilton Sangali Nogueira, e a amada, a funcionária do postinho de saúde do bairro, Francielle Silva Santos, 23 anos.

O cara é suspeito de ser o cabeça dos crimes e a mulé seria sua cúmplice. ?Ele é bandido, planeja tudo. Ele levanta os dados das vítimas que têm dinheiro pra praticar os crimes?, conta o delegado André Manoel de Oliveira Filho. Pra piorar, com o homem foi guentado um revólver calibre 38.

Os homisdalei baixaram também numa baiuca da rua Monte Castelito onde grampearam o vigia Teilomar Michele da Rosa. Na rua Monte Neru, pegaram o mano de Francielle, Rafael Silva Santos, 18, e Gilson Sabka, 37, que também tava maquinado com um trezoitão. O último da quadrilha a ser preso foi Jean Kelly Raud, 34, encontrado na rua Dom Jaime, na Vila Real, em Balneário.

Nilton e Teilomar tão com a prisão preventiva, aquela por tempo indeterminado, decretada pela justa de Gaspar, acusados de meterem o sequestro. Já o resto do bando tá na maciota e foi guentado por cinco dias pra investigação dos puliças.

Até semana passada, Teilomar tava sigabando da grana que tinha lucrado. O malaco teve a caruda de postar no Orkut – saite de relacionamento na internet -, fotos da dinheirama. Pra polícia, a bufunfa veio do assalto à casa da dona do hotel.

Já o cara jura de pés juntos que a grana é honesta. ?O dinheiro é meu. De um terreno que eu tinha no Monte Alegre e vendi?, conta. O vigia noturno garante que é trabalhador e não tem nenhum envolvimento com a quadrilha.

A investigação começou há mais de um mês, pouco depois do assalto à casa da dona no hotel que rolou no dia 7 de julho. O delegado André acredita que a vagabundagem tá metida em outros assaltos que rolaram na city e vai pedir pras vítimas fazerem o reconhecimento dos suspeitos nos próximos dias.

Quem reconhecer as fuças dos caras pode dar um alô pro 181 da polícia civil, sem se identificar. A equipe de investigação desconfia que mais safados possam estar envolvidos com a quadrilha e tá na cola dos pilantras.

Assalto e sequestro

Os crimes rolaram no mês passado. O primeiro, organizado pelo bando, foi o assalto à casa da dona do hotel das Américas. Na noite de 7 de julho, vagabundos encapuzados e armados renderam C.T., e fizeram a limpa na casa. Levaram aparelhos eletrônicos, joias caríssimas, 10 mil dólares, R$ 50 mil e quatro mil euros, grana que circula na Zoropa. Uma semana depois, foi a vez do dono da malharia Paxá, de Gaspar, cair nas garras dos malandros.

O empresário foi sequestrado quando saiu de casa pra comprar o remédio pro seu filhote. Os putos renderam o coitado no caminho, meteram um trabuco na sua cabeça e o levaram pra dar um passeio nos bancos de Tijucas e Camboriú, onde Paxá foi obrigado a sacar R$ 1,5 mil. O empresário foi largado seis horas depois do ataque na estrada geral dos Macacos, em Camboriú.

  •  

Deixe uma Resposta