• Postado por Tiago

A família da dona de casa Maria Inês Moreira, 49 anos, levou um baita susto ontem pela manhã. A mulher, num descuido, pisou num caco de vidro e acabou cortando o pé. O sangue jorrou pra tudo quanto é lado e o marido ligou pro Samu pedindo socorro. Foram três tentativas e cerca de 40 minutos de espera, mas a ambulância nem apareceu por lá.

Maria, o marido Ângelo Moreira e o filho moram no bairro dos Municípios, em Balneário Camboriú. Ficaram indignados com a falta de interesse dos socorristas do Samu. “Nós tivemos que pegar o carro e levá-la até o hospital, porque senão ia morrer de tanto perder sangue”, conta o marido.

Ângelo disse que depois dos longos 40 minutos de espera pela ambulância do Samu, Maria foi levada até o Santa Inês, onde precisou ficar internada por conta da fraqueza com a perda de sangue, já que o corte com o vidro foi bem próximo de uma veia do pé.

Samu tá sem coordenação

Um funcionário do Samu, que não se identificou por não ser autorizado a dar entrevista, disse que não sabe o que aconteceu no caso de Maria, mas reclamou que Balneário Camboriú tem apenas duas ambulâncias do Samu pra atender o povão. “O que às vezes é muito pouco”, completou.

O socorrista disse que quando as ambulâncias do órgão tão ocupadas, os bombeiros são acionados. “Nós nunca negamos atendimento. O que pode ter acontecido nesse caso é que os bombeiros também estavam em alguma ocorrência”, acredita.

O funcionário ainda soltou ao DIARINHO que o Samu da região tá sem coordenação, ou seja, ninguém responde pelo serviço.

  •  

Deixe uma Resposta