• Postado por Tiago

Maria Aparecida Mafra, 48 anos, tá encostada do trabalho há seis anos. Ela perdeu a visão de um dos olhos e enxerga somente 10% no outro. Já passou por umas 12 perícias para renovar o auxílio doença. Agora, por conta de um problema nos computadores da previdência Social, só conseguiu marcar a perícia para março. O problema é que o auxílio-doença vence no dia 16 de dezembro. “Sempre marcaram em seguida. Preciso desse dinheiro e nem posso voltar pra empresa, porque a empresa não aceita”, desespera-se a trabalhadora.

Agora, Cida quer saber:

“O INSS continua pagando o auxilio doença até a próxima perícia ou vai pagar só em abril?”

Jaime Bortolin Filho, superintendente substituto regional do INSS, explica que somente o médico poderá dizer se a pessoa continuará ou não recebendo o auxílio doença. Isso quer dizer que até março Cida não receberá a grana do benefício.

O bagrão do INSS diz ainda que se o médico avaliar que a pessoa não tem condições de continuar trabalhando, ela será reembolsada pelos meses que aguardou pela perícia sem receber um puto d’um tostão.

O superintendente admite que há falta de médicos peritos em algumas agências e ressalta que a falha ocorrida no sistema da previdência, durante esta semana, também ajudou a atrasar consultas.

Para suprir a falta de peritos, informa Jaime, agora em dezembro sai o edital para a contratação de mais 250 novos médicos. Além disso, está tramitando no congresso Nacional a contratação de 500 outros peritos para o início de 2010.

Pra quem quer renovar o auxílio doença, a dica de Jaime é marcar as perícias 10 dias antes do término do benefício. Assim, diz, evita-se a demora nas consultas.

  •  

Deixe uma Resposta