• Postado por Tiago

INTERNA_11_abre-esquerda_-comércios-supostamente-ilegais_foto-carmem-miranda-(1)

Secretário da associação de moradores diz que barraquinhas e traileres não têm alvarás

O aposentado Arno Scharf, secretário da associação de Moradores do Gravatá, de Navega, anda indignado com a quantidade de traileres, carrinhos e ambulantes que se instalaram no bairro nesta temporada de verão. O aposentado garante que os comerciantes, além de estarem irregulares, tiram a clientela de quem funciona legalmente e paga seus impostos em dias.

Arno tá sacudo com o que chama de ?aproveitadores do Gravatá?. O rolo é tão grande, diz ele, que deveria ser caso de polícia. Desde a semana passada, com o início da temporada, vários comércios como traileres de cachorro quente, carrinhos de crepes e churros e até de cheese burgers tão se instalando aos montes no bairro.

O dirigente da associação de moradores acusa que barecos e carrocinhas estão ilegais. ?Eles estão instalados em terrenos particulares. Colocaram a lona, mesinha, e pronto. Mas não possuem banheiro masculino e feminino, como os demais comércios do bairro que têm alvará. Se eu fosse um dos comerciantes, deixaria de pagar o IPTU por causa deste absurdo?, incita o aposentado.

Outro reclamo é que alguns comerciantes ilegais montaram mini-baias para morar no local durante a temporada. ?Tudo com a conivência da nossa administração pública que permite exploração ilegal, enquanto que comerciantes legalmente constituídos são prejudicados?, comenta.

Na tarde de ontem, uma montoeira de quiosquinhos estava montada em frente à pracinha do Gravatá. Tudo para atender o povão que iria assistir, à noite, o show do cantor sertanejo Luan Santana. Até uma barraquinha da PM tava na área, ao lado dos comércios.

Tá tudo legalizado, garante bagrão da prefa

Ernesto Ferraz Rodrigues, responsável pela fiscalização da prefa, diz que seu Arno está enganado quanto à regularidade dos comércios. Ele afirma que os quiosques montados na pracinha do Gravatá estão todos legais. ?Se a pessoa alugar o terreno, ela pode trabalhar ali. Nós pedimos a apresentação do contrato de locação, para expedirmos o alvará?, explicou.

O bagrão da fiscalização diz que denúncias sobre comerciantes ilegais podem ser feitas pelo telefone do (47) 3249-9500.

  •  

Deixe uma Resposta