• Postado por Tiago

Estão favelizando as praias de Itajaí. É este o termo que seu Hercílio Nimitz, 60 anos, utilizou para descrever as lanchonetes e barracas chinfrins da praia do Atalaia. “Daqui a pouco não há mais lugar para estacionar. Os barraqueiros chegam cedo, reservam e ocupam o espaço de frequentadores”, reclama.

As lanchonetes de madeira também são alvos da reclamação de seu Hercílio. Para ele, os barecos não contribuem pra embelezar as praias e deixam à mostra a falta de padronização dos pontos turísticos da city.

Wagner de Souza revela que os técnicos da secretaria de Turismo e de Urbanismo, juntamente com os da fundação do Meio Ambiente (Famai), estão montando um projeto que, além de criar normas para o uso de guarda-sóis e cadeiras na areia por restaurantes, ainda pretende padronizar os quiosques. Atualmente a secretaria de Turismo e a Santur, que é uma empresa ligada à secretaria Estadual de Turismo, Cultura e Esporte, estão pesquisando a demanda por quiosques em todas as praias de Itajaí. A prefeitura pretende colocar o projeto em prática na próxima temporada de verão.

Para o secretário, o reclamo do leitor Hercílio ajuda a prefa a identificar problemas e a melhorar o turismo na cidade.

  •  

2 Respostas to “Quiosques sem padrão enfeiam a Atalaia”

  1. fabito Diz:

    Os quiosques da Atalaia além de horrorosos, são degradadores ambientais, que autorização aquelas pessoas tem para estarem naquele lugar. Acredito que vale como queriam fazer no mercado de peixe (licitação). O setor responsável da PMI, deve exigir do arrendatário banheiros com duchas, e arquitetura padrão fora da mata ou restinga. DEMOROU!

  2. fabito Diz:

    Os ranchos da praia do Atalaia, fornecem aos bebuns de plantão “churrasqueiras” isso gera lixo e muita fumaça para os pedestre, ciclista e até mesmo para os banhistas. Quem passa lá em cima pela calçada tem que tirar uma névoa de fumaça e mal cheiro das ventas.

Deixe uma Resposta