• 31 ago 2009
  • Postado por Tiago

Mais impostos

A CPMF é coisa do passado e seu destino, como sabemos, não foi a saúde. Agora não podemos aceitar o novo tributo com o nome CSS [Contribuição Social para a Saúde] e que digam vagamente que será destinado para a saúde. Que tal pedir uma ação da Justiça e repatriar todo o dinheiro desviado dos cofres públicos para paraísos fiscais?

CSS

Se aprovado, o novo tributo trará R$ 12 bilhões adicionais exclusivamente à Saúde. União (50%), estados (25%) e municípios (25%). A diferença é a alíquota cobrada: A CPMF foi extinta cobrando 0,38%, a CSS deve cobrar 0,1% sobre movimentações financeiras. Estariam isentos do pagamento da CSS os aposentados e pensionistas. Já vimos este filme antes e sabemos exatamente o que aconteceu: Nada.

Problemas não podem ser mascarados

Além de aumentar os gastos com segurança pública, por outro lado, não poderemos ter descaso com a educação e, principalmente, a grande desigualdade social. Esses dois fatores têm ampla influência na criminalidade de qualquer cidade.

Extensão da UFSC em Itajaí

O vereador Laudelino Lamim (PMDB) solicitou, via requerimento, ao Ministro da Educação, Fernando Haddad e ao Reitor da UFSC, Alves Toubes Prata, a implantação de campus como extensão da Universidade Federal de Santa Catarina em Itajaí. É da maior importância e necessidade a descentralização da UFSC, não só para Itajaí, mas para várias regiões do estado.

Desperdício

Dez anos atrás, tínhamos 12 pastas com status de ministério. Afastado o presidente Fernando Collor, sob graves denúncias de corrupção, o vice Itamar Franco assumiu em 1992 para cumprir mandato-tampão de dois anos, tempo suficiente para o número de ministros saltar para 22. O sucessor, Fernando Henrique Cardoso, acrescentou mais dois na conta, além de criar nove secretarias. Com Luiz Inácio Lula da Silva, a Esplanada ganhou mais 14 ministérios. Agora são 38 pastas e quatro secretarias especiais.

Vertiginosa escalada

Resultado: Descontrole de gastos, cargos preenchidos sem concurso público, baixa eficiência. O orçamento público também é abusivamente corroído pelas secretarias especiais com passagens e diárias. Foram R$ 6,4 milhões só no primeiro semestre deste ano, mais do que o gasto por ministérios tradicionais de grande porte, como Comunicações, Indústria, Desenvolvimento Agrário, Meio Ambiente. Passa da hora de pôr fim à farra.

Dinheiro não falta

Apesar da queda constante da arrecadação federal, o governo enviou ao Congresso projeto pedindo abertura de crédito orçamentário de R$ 77 milhões (seis milhões de libras esterlinas), para a compra de um prédio em Londres para instalar a chancelaria da embaixada do Brasil naquela cidade. Não há dinheiro para projetos de obras em pequenas cidades e, de repente, surge um dinheiro para a embaixada em Londres. É virar as costas para o povo brasileiro.

Sem explicação

Na hipótese de alguém sonegar impostos, roubar um banco, matar um semelhante, maltratar um animal ou depredar patrimônio alheio, sofrerá as consequências previstas em lei. Por que, então, o mesmo não se dá com alguns políticos no Brasil?

Fé explorada

O que é preciso mais a imprensa mostrar para que os órgãos da República acabem com esse mercado da fé que assola o Brasil? Deixam-nos à mercê de táticas de lavagem cerebral hoje dita como “louvor a deus” e muito dinheiro livre de impostos.

Falta reagir

Vejo nos jornais e nas tevês escândalos envolvendo o Senado, e o povo nada faz. Não vejo ninguém protestando e alguns estão até achando graça da situação.

Cartão vermelho no Senado

O senador Eduardo Suplicy demorou muito para mostrar o cartão vermelho. E ele não deve ser mostrado só para o Sarney. Muitos outros senadores precisam e devem receber esse cartão. A vergonha nacional chegou e ficou no Senado, e tão cedo não sai.

Vereadores

É inaceitável, nesse atual momento político brasileiro, conceber a ideia de que teremos mais ‘representantes eleitos’ espalhados pelo Brasil. Por que colocar mais laranjas dentro das caixas onde a podridão já está instalada? A sociedade brasileira não pode aceitar um número maior de vereadores, pois seria o mesmo que aceitarmos parasitas sugando todo indício de honestidade, ainda detectado nas árvores já secas do poder.

Carrinho de Compras:

Algodão egípcio! Esse foi o material preferido pela Presidência da República durante as compras da última semana. R$ 1,1 mil para a aquisição de 12 roupões brancos, com algodão tipo egípcio e R$ 4,4 mil para a aquisição de 40 jogos de toalha, compostos de duas toalhas de banho, duas de rosto e duas de piso, tudo 100% algodão egípcio.

  •  

Uma Resposta to “Quirino Ribeiro”

  1. proconbc Diz:

    Este vereador deve ser um total cidadão desasistido pois a UFSC através da UAB implantou uma estensão em Itajaí. Para que criar despesa e custeio com estrutura fisica se ja tem o projeto UAB?
    Totalmente sem noção.

Deixe uma Resposta