• Postado por Tiago

INTERNA-_abre_doméstica-com-carteira-de-trabalho_foto-wils-on-dias-ABR

Das 8 milhões de domésticas, apenas 2 milhões têm carteira assinada

A relação anual de informação social (Rais), que é um listão de trabalhadores que os patrões de todo o país têm que mandar para o Ministério do Trabalho, reforça a afirmação de que a discriminação contra mulheres e negros ainda é forte no mercado de trabalho brasileiro. Dados da Rais revelam que a mulher negra ganha, em média, R$ 790 e o salário médio do homem branco é de R$ 1671.

Os números do emprego também denunciam a discriminação. As mulheres negras representam apenas 6,5% das brancas no mercado formal de trabalho. Ou seja, com carteira assinada.

Para Creuza Maria Oliveira, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos, a situação é ainda pior para os empregados daquele setor. Ela diz que há mais oito milhões de trabalhadoras domésticas no Brasil, mas apenas dois milhões têm carteira assinada. ?Como o ambiente em que elas trabalham é privado, não há como ter fiscalização para verificar as condições do local e como trabalham?, afirma.

  •  

Deixe uma Resposta