• Postado por Tiago

Assim como o cara que se recusa a fazer o exame de DNA é automaticamente considerado pai da criança, agora a mãe que não permite o exame no filhote faz acreditar que o cara não tem responsabilidade com a cria. A dona justa reconheceu que um suposto pai tinha razão ao negar a paternidade  e autorizou a modificação no registro do menor. E mais: a falsa atribuição de paternidade motivou também o ação de separação judicial litigiosa. 

  •  

Deixe uma Resposta