• Postado por Tiago

Junte a baixa temporada das reformas com a falta de grana no mercado peixeiro – reflexo tardio e duradouro da quebra nas atividades portuárias, e a crise econômica mundial e o resultado é o pior mês de maio para o setor de varejo de material de construção em Itajaí. Nem a redução no imposto sobre produtos industrializados (IPI) sobre mais 50 itens conseguiu animar o consumidor, que prefere não fazer mais dívidas até a situação econômica se normalizar. “Não chegamos ainda na inadimplência, mas as vendas caíram cerca de 40% este mês em relação à mesma época no ano passado”, reclamou Carlos Afonso Cunha, gerente de vendas da Antônio Bittencourt.

Continua na edição de amanhã do DIARINHO.

  •  

Deixe uma Resposta