• Postado por Tiago

SEGUNDA-DO-ESPECIAL-praias-balneario-sabado

Canal do Marambaia recebe esgotos clandestinos

A praia central de Balneário só está cagada graças aos seus afluentes como o rio Camboriú, rio Peroba e o canal do Marambaia, que estão mais sujos que pau de galinheiro. Outro agravante é a falta de um sistema completo de tratamento de esgoto, e até as chuvaradas contribuem pra sujeirada na praia aumentar.

O professor da Univali, Marcus Polette, explica que a maioria da merdalhada que contamina a orla de Balneário vem dos afluentes, como o rio Peroba e o rio Camboriú. Não há saneamento básico na terrinha do mármore e do tiro a vereador, e o rio leva o esgoto das 50 mil pra praia. ?Falta um trabalho integrado entre as duas prefeituras pra resolver esse problema de saneamento?, palpita.

Mais um condutor da bostalhada pro marzão é o canal do Marambaia. O canal recebe parte do esgoto não tratado da city e das ligações clandestinas do povão. A água sujona de lá cai direto na Pontal Norte e já garantiu pro local o título de área mais fedorenta do Balneário.

A falta de uma rede completa de tratamento de esgoto é outro grande motivador da sujeirada na praia. Cerca de 40% da city ainda não tem saneamento básico. ?A gente está vendo um boom imobiliário sem estrutura. Tem gente comprando apartamento de R$ 40 mi de frente pro mar pra ter só uma paisagem, porque ninguém tem coragem de andar na praia?, alfinetou o fessôr.

Chuva contribui

Careca de analisar a água sujismunda do Balneário, o analista técnico da Fatma, Marlon Daniel da Silva, conta que até a chuva interfere na poluição. Afirma que o mar fica mais sujo quando São Pedro abre as torneiras do céu. ?Acontece toda a lavação das ruas. É cocô de cachorro, gato e toda a sujeira que corre com a água e cai no mar?, afirma.

Pro analista da Fatma, o problema é histórico e rola porque faltou planejamento técnico dos governos que não montaram um sistema de coleta de esgoto pra dar conta do crescimento monstruoso da cidade na última década. ?Não houve um acompanhamento objetivando a cidade como um todo. O povo sempre tentou esconder e não tratar o seu lixo?, conta Marlon.

Os antigos prefeitos ainda ajudaram a piorar a situação, até mesmo quando buscavam formas pra resolver o problema. Há 15 anos, o construtor e ex-prefeito da Maravilha do Atlântico Sul, Harold Schultz, montou as lagoas de decantação, no bairro Nova Esperança, que tratam só 45% do esgoto do município. Desde então, os outros 55% que sobram de sujeira vai parar no rio Camboriú, que desemboca no Barra Sul e ajuda a poluir a praia. ?Era o que tinha de mais moderno na época?, defende o atual secretário de meio ambiente?, André Ritzmann.

  •  

Deixe uma Resposta