• Postado por Tiago

Na edição da última segunda-feira, o DIARINHO trouxe a informação que em 2009 rolaram apenas dois campeonatos amadores de surfe em Balneário Camboriú. Ou seja, de 2006 pra cá, o número de competições caiu drasticamente.

Após a publicação da matéria, vários leitores entraram em contato com a reportagem afirmando que a situação era muito mais complexa. A reportagem ficou com a pulga atrás da orelha, se coçou, e foi atrás das informações. Com acesso ao processo que está na controladoria geral do município, constatou que a associação de Surfe de Balneário Camboriú (ASBC) deve explicações à prefa da Maravilha do Atlântico sobre R$ 91 mil. O fato ajuda a explicar o porquê do sumiço do circuito de surfe da city. A dívida vem da gestão de Élder Leão à frente da ASBC, e é referente à falta de prestação de contas dos anos de 2006 e 2007.

Agora o caso está com a Procuradoria Jurídica de Balneário Camboriú, pra que seja feita a cobrança na dona justa. Caso fiquem comprovadas as irregularidades, a dívida passa a ser de Élder, presidente da época, e a ASBC volta a ter o CNPJ limpo e a possibilidade de ganhar novamente recursos públicos.

Entenda o rolo

Em 14 de novembro de 2008, o Ministério Público pediu à controladoria geral do município que apresentasse a documentação referente às verbas destinadas à ASBC. Como Élder só apresentou as cópias dos documentos pedidos, sem os originais, e como não recolheu INSS, a comissão especial de tomada de contas concluiu que a associação deu prejuízo à Maravilha do Atlântico e que o convênio existente entre prefa e ASBC teve desvio de finalidade.

A comissão ainda relatou no processo que as declarações do ex-presidente foram vagas, fato que o próprio Élder reconhece. “Faltou conhecimento na prestação de contas”, diz o ex-presidente da ASBC.

Segundo Élder, a prefeitura perdeu as notas das prestações de contas. Ele afirma que tem como provar a diferença do dinheiro, porém até hoje isso não aconteceu.

Sandro Bernardoni, superintendente da fundação de esportes de Balneário, disse que não tá podendo repassar nada de dinheiro pra ASBC por causa da dívida e que o perrengue continuará até a associação prestar conta ao Ministério Público. “Não posso dar verba à ASBC enquanto o CNPJ estiver sujo. Mas os campeonatos não são feitos pelo poder público, nós apenas ajudamos a viabilizá-los”, lasca.

  •  

Deixe uma Resposta