• Postado por Tiago

CAPA-BASE-desfile-marejada4

A festa é com o ?dinheiro dos outros?

As duas principais festas peixeiras terminaram no vermelho em suas últimas ediçães. O rombo nos cofres públicos, graças a realização da Marejada de 2008 e a Festa do Colono de 2009, ultrapassa 1 milhão de reais, segundo os dados divulgados ontem pela Fundação Itajainses de Turismo, que toca os dois festerês.

A Marejada do ano passado arrecadou pouco mais de 669 mil. O governo do estado bancou 100 mil e o banco Bradesco entrou com uma cota de patrocínio de 100 mil. A bilheteria rendeu 335 mil, a venda de bebidas trouxe mais 86 mil pra conta e um valor de pouco mais de 47 mil é registrado como ?credeciamento? entre as receitas.

O problema é que as despesas foram gigantes. No total, a festa portuguesa gastou 1,5 milhões de reais e margou um preju de mais de 836 mil. Só com as apresentações artísticas foram gastos mais de 600 mil. A segurança levou mais 173 mil. Com despesas de direitos autorais foram mais de 54 mil reales.

Na Festa do Colono deste ano não foi diferente. Só a proporção do estrago é que foi menor. As receitas da festa ultrapassaram 144 mil reais. Nessa conta, entraram 50 mil de um patrocínio do Bradesco, 11 mil do estacionamento, 8 mil do parque de diversões e mais 74 mil de venda de espaços na feira. As despesas, no entanto, chegaram a 488 mil reais, o que resultou num preju de 343 mil reais, que a prefa teve que tirar do próprio bolso.

Na Festa do Colono deste ano o povo não pagou pra entrar. Só pagou o preju, que sai dos cofres da prefa, dinheiro dos impostos que todos pagamos. Mas na Marejada do ano passado, os peixeiros pagaram duas vezes: o ingresso e o preju.

  •  

Deixe uma Resposta