• Postado por Tiago

Evandro tinha comprado uma moto e um carro com o dinheiro da droga

Em menos de 12 horas, a polícia fez uma limpa na região. Foram tiradas de circulação 29 pedras de crack. Mais da metade guentada durante um atraque a uma casa de Camboriú. Um trafica e um dimenor foragido foram em cana. Outras 12 pedras do capeta foram recolhidas com um traficante de Porto Belo, que caiu nas garras dos homisdalei.

Passava das 5h de ontem quando uma baratinha do Pelotão de Policiamento Tático (PPT) dos meganhas encostou ao lado da casa 184 na rua Monte Everest, no bairro Monte Alegre, na cidade da pedra. No local, deram de cara com o Evandro José da Silva, 28 anos, que melou a cueca e correu pra dentro da baiuca.

Vendo que naquele mato tinha cachorro, os milicos foram atrás do suspeito. Dentro da baia encontraram 17 pedritas do capeta. Cinco eram grandes e se fossem picadas, poderiam render mais umas 50 porções. Outras 12 pedras eram pequenas e já tavam embaladas e prontas pra venda. Com Evandro foram recolhidos R$ 54,50 em notas miúdas, que é uma característica da venda de porcariada.

Dentro da casa tavam também C.A.R. e R.G.V. Os dois têm 17 anos. A duplinha dimenor tava comendo mosca com a maior cara de quem aprontou. Os fardados consultaram o nome dos moleques no sistema da puliça e descobriram que C. tava fugido do xilindró dos aborrescentes do Campeche, em Florianópolis. Com os flagrantes, Evandro foi parar no cadeião. Já C. ficará guardadinho na cela da delegacia até que a justa arrume uma vaga pra ele num dos centros de internamento provisório (CIPs).

Mais 12 pedras

A casa também caiu pra um traficante de Porto Belo, que tinha uma sucursal do demo na terrinha. Investigadores da polícia civil baixaram na rua Capitão Gualberto Leal Nunes e encontraram Elisandro Hoffmann, o Cabelo, vendendo porcariada pertinho do colégio.

Os homisdalei correram atrás do sujeito e deram o teje preso. Encontraram com ele 12 pedras de crack prontinhas pra serem vendidas aos viciadinhos de plantão.

Pra não perder a viagem, os policiais entraram numa casa apontado como sendo do Cabelo. Dentro da baiuca acharam dois aparelhos de dvd e tevê. ?Ele não comprou nada. São produtos trocados por drogas?, conta o delegado Luís Carlos Huffe.

O dotô afirma que Elisandro é figurinha carimbada na polícia. Ele é natural de Concórdia, mas mora em Porto Belo e taria metido com a venda de drogas há pouco mais de um ano. ?Pelo jeito, tava lucrando bastante já que estava com uma moto e um Gol novo?, lascou o delegado.

  •  

Deixe uma Resposta