• Postado por Tiago

06

Na Big Star, as árvores decoradas com temas variados enchem os olhos dos visitantes. Quem faz a decoração é a proprietária Luci Pereira, que começou na função por hobby, quando se trancava na loja aos domingos pra bolar maneiras diferentes de decorar a árvore de Natal. Lá se vão 15 anos, sendo que a loja está há 31 anos na Hercílio Luz. Por causa da alta qualidade da matéria-prima, as árvores chegam a custar R$ 2 mil, e fazem sucesso nos lofts de Balneário. Os enfeites são comprados na feira Gift (presente), que rola em Sampa nos meses de março, maio e agosto, e ela não cobra a mão-de-obra. ?Eu não vou na 25 de Março, como muitos fazem, por isso o que revendemos aqui acaba sendo exclusivo?, revela.

Todos os anos, Luci monta cerca de 10 árvores e 50 guirlandas, que custam cerca de R$ 200, fora os arranjos de mesa. Ela está com boas expectativas pro Natal deste ano, já que no ano passado, por causa da enchente, as vendas foram modestas. ?Este Natal tende a se igualar com 2007, quando vendemos muitas árvores, até para os transatlânticos que param por aqui?, revela. Mas as agências marítimas, que eram clientes certos, continuam na moita, enquanto o porto não volta a operar com força total.

Se o consumidor tiver que decorar a árvore sozinho, Luci dá uma dica: ?Tem gente que mistura muitas cores, mas eu prefiro eleger duas ou três pra ter um resultado mais harmônico. Este ano, por exemplo, está muito em voga o vermelho e o dourado?, sugere. A decorada acha que os festões, aqueles cordões imitando galhos de pinheiro fininhos, estão fora de moda, assim como spray e isopor imitando neve. ?Outra coisa que não se usa mais são os cabelos de anjo, que muita gente chama de barba de velho?, acrescenta.

02

  •  

Deixe uma Resposta