• Postado por Tiago

A estrutura física dos colégios também não ajuda o trampo dos professores. Na Santa & Bela, o padrão das salas de aula dos colégios da rede estadual é de 48 metros quadrados, com capacidade projetada para 24 alunos, segundo o professor Marcelo Speck, um dos diretores do sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte). O que se vê nas salas de aula, segundo estatísticas do próprio sindicato, é uma média de 35 alunos em cada sala de aula no estado. A superlotação fica na faixa dos 45%. “No geral, há uma precariedade dos prédios e isso se vê em todo o estado”, comenta Marcelo.

A professora Marialva Spengler, especialista em orientação educacional e mestra em psicologia da educação, explica que essa situação precária das salas de aula prejudica pra caramba o trampo dos professores. “A gente percebe na prática docente, na educação infantil, que a maioria das creches são adaptações de casas e as salas são minúsculas. Isto com certeza tem interferência, porque tem que se sentir bem no ambiente onde se está trabalhando”, diz.

A professora diz que, pra tentar driblar as dificuldades, os professores têm que fazer das tripas coração e botar a cuca pra funcionar. “Hoje em dia o professor tem que ter acima de tudo muita criatividade para fazer da sala de aula o melhor espaço possível para a atividade”, ensina.

  •  

Deixe uma Resposta