• Postado por Tiago

INTERNA-BAIXO-PAG-18---s---Ondas-gigantes-foto-prendinha-do-deli-04.06.09-(4)

Tem que ser muito doido pra encarar estas montanhas de água

Itajaí, Navegantes, Balneário Camboriú e outras cidades litorâneas de Santa Catarina possuem diversos surfistas, e dos bons. Mas não é qualquer um deles que enfrenta uma onda gigante, que pode ser fatal pra quem se der mal na descida. Estas ondas, que chegam a ultrapassar os 20 metros de altura em algumas partes do mundo, só são encaradas com a ajuda de jet ski. O surfista é rebocado até o ponto certo da montanha de água, pois é impossível entrar na onda remando.

Marcelo Assumpão Ulysséa, que na manhã de ontem deu uma palestra pro curso de Oceanografia da Univali sobre ondas gigantes, é um dos loucos que pratica este esporte pra lá de radical. Ele faz parte do projeto Anjos do Mar Brasil, que visa capacitar profissionais pro uso de motos aquáticas, como são chamados os jet skis usados na busca e salvamento da surfistada em mar aberto. Além disso, aproveitou pra falar sobre as ondas gigantes e um fato inédito no Brasil: na semana passada, Marcelo conseguiu registrar a maior onda que se tem notícia na costa brasileira. Ela rolou em Jaguaruna, sul da Santa & Bela, e tinha cerca de 10 metros de parede. ?Não foi coincidência, fomos lá 21 vezes antes e não conseguimos ver. Existe um trabalho de monitoramento pra que isso aconteça?, explica.

Junto da palestra, o surfista divulgou o curso de ?town in? que ele dará neste fim de semana, em Florianópolis. Ele é necessário pros surfistas que querem pegar ondas gigantes. ?É o diferencial, os alunos aprendem a usar a moto aquática e todos os equipamentos necessários, além de um curso de apneia. São três dias onde o aluno aprenderá também a fazer busca e salvamento, pois é perigoso este tipo de prática?, destaca.

Marcelo possui cerca de 200 alunos formados em todo o Brasil. O curso é itinerante e rola entre o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro. Quem quiser se inscrever pode mandar e-mail pro info@anjosdomar.com.br.

Além de Jaguaruna, outros picos importantes pra surfistada encarar ondas gigantes no país são Torres/RS e Fernando de Noronha/PE, que chegam a registrar paredões de 5,5 e 4,5 metros, respectivamente. Mas é fora do Brasil que o bicho pega pra valer. As maiores estão em Mavericks e Cortez Bank, na Califórnia, e Jaws, no Havaí, onde os malucos já droparam ondas com mais de 20 metros de altura. Em 2001, por exemplo, o brazuca Carlos Burle surfou uma onda de 22 metros. O feito só foi possível graças ao tow in, ou seja, com o auxílio do jet ski para puxá-lo até a gigante. Outros picos radicais são nas praias do Waimea, no Havaí, e Todos os Santos, no México.

  •  

Deixe uma Resposta