• Postado por Tiago

Os sabichões da área da saúde participaram de uma reunião, hoje de manhã, com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica. O conversê resultou nos acertos pra dar conta dos casos de gripe A, inicialmente chamada suína, se e quando ocorrerem na city peixeira.

Os 120 médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem puderam tirar suas dúvidas em relação ao atendimento adequado e identificação dos sintomas gripais.  Eles também foram orientados a atender os pacientes nas Unidades de Saúde, encaminhando-os ao Pronto Socorro somente se houver necessidade.  Pra reduzir a montoeira de gente doente se acotovelando nos postos, a  Secretaria Municipal de Saúde está montando um Centro de Referência de Atendimento no Centro Social do São Vicente, ao lado do PA.  O atendimento será feito de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Ali serão atendidos os suspeitos e os doentes de gripe A. Também quem tiver dúvida sobre a doença deve dar uma passadinha lá pra se esclarecer com os profissionais.

“Nosso objetivo é canalizar o atendimento neste Centro de Referência para desafogar as Unidades de Saúde e pronto socorro”, explica a Secretária Municipal de Saúde, Dalva Maria Rhenius.

Quadro atual

O quadro de pacientes com gripe A H1N1 continua o mesmo, de acordo com boletim da Secretaria de Estado da Saúde: dois adultos, que estão em casa em isolamento domiciliar.  Os casos considerados suspeitos reduziram de 19 para 18, conforme o boletim.

O contágio da “Gripe A” é dada por meio do ar, por vias aéreas e através de pessoas contaminadas.  Os sintomas são similares ao da gripe normal, porém, com maior ênfase na febre alta, tosse, dores musculares, cansaço, diarreia, vômito, irritação nos olhos e fluxo nasal.  As principais formas de prevenção da Gripe A são a higiene das mãos, lavando-as com sabonete e evitando o contato na boca, olhos e ouvidos, a vacina (ainda não disponível no país) e não ficar em locais fechados com grande aglomeração.

  •  

Deixe uma Resposta