• Postado por Tiago

As notícias são alarmantes. O vírus da tal gripe A (H1N1), chamada inicialmente de Suína, anda pelo mundo a galope, contaminando e derrubando muito marmanjo. É hora de saber o que a secretária de Saúde de Itajaí, Dalva Maria Rhenius, tem a dizer sobre o assunto. “Num momento em que o mundo está voltado para a Gripe A, queremos tranquilizar a população que até o momento não temos casos confirmados em Itajaí, mas estamos trabalhando na prevenção e capacitação dos funcionários que, nos casos suspeitos da doença, estarão preparados para um enfrentamento desta pandemia”, explica a Dalva.

A identificação e o monitoramento da gripe A em Itajaí está sendo realizado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica através dos profissionais dos hospitais, policlínicas, pronto atendimento e unidades de saúde, tendo suporte direto com a Unidade de Resposta Rápida (URR) da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, que divulgou um boletim oficial com os últimos dados da doença: são 47 municípios no estado que possuem casos confirmados ou suspeitos. O documento informa que, de cinco de maio a 13 de junho, foram identificados 11 casos suspeitos de Gripe A (H1N1) em Itajaí.

Os sinais e sintomas que são importantes para a suspeita de Influenza A: febre elevada, acompanhada de tosse ou dor de garganta com ou sem diarreia; vômito e dispnéia (falta de ar).

Os cuidados para prevenir a Gripe A são:
– Lave sempre as mãos esfregando entre os dedos, o dorso e a palma com sabão;
– Lave sempre as mãos quando chegar em casa, antes de comer, ao tossir;
– Proteja-se ao espirrar usando lenço de papel descartável. Assim, você evitará que o espirro solte secreções e transmita a doença;
– Alimente-se bem e beba líquido. Coma carboidratos, proteínas, legumes e frutas. O ideal é beber pelo menos dois litros de água por dia;
– Agasalhe-se no frio: sem proteção, o corpo fica exposto a viroses;
– Importante! Não se automedique: procure uma unidade de saúde mais próxima;
– Mantenha os ambientes ventilados, principalmente casas, unidades, locais com várias pessoas;
– Por último, evite aglomerações: o contato muito próximo com várias pessoas, em locais fechados, facilita o contágio.

São pacientes do grupo de risco (pacientes que necessitam de atenção especial):
– Diabéticos;
ü-Pacientes com doenças renais, cardíacas e pulmonares;
– Gestantes;
– Paciente com obesidade mórbida;
– Pacientes HIV/AIDS;
– Pacientes com Câncer;
– Pacientes que usam corticoides (imunossupressores);
– Crianças menores de dois anos;
– Pessoas acima de 60 anos.

Informações adicionais com a diretoria de Vigilância Epidemiológica – Gerência de agravos agudos pelo telefone: 3249-5509. Secretária Municipal de Saúde, Dalva Maria Rhenius 9923-3135.

  •  

Deixe uma Resposta