• Postado por Tiago

“Prezado JC, conforme contatos anteriores, solicito que seja publicado esse texto como resposta ao comentário divulgado em sua coluna na data de 15 de janeiro de 2009, com os seguintes títulos: “Assim não dá!” e “Pára né!”

JC, gostaria que o senhor me apresentasse as provas necessárias em razão do seu questionamento da minha conduta como secretária de Turismo da cidade de Penha.

Em relação ao seu comentário dizendo: “é imoral e pra lá de antiético a empresa da secretária de Turismo estar na ponta da lança da divulgação da Festa do Marisco”, para seu conhecimento, em nenhum momento a minha empresa (a Rotas Comunicação) está à frente de divulgação da festa no município. Simplesmente, aproveitamos o texto escrito e divulgado pela assessoria de imprensa do município para repassar aos contatos da empresa via e-mail e ampliar o poder de alcance da divulgação. A minha intenção e único objetivo foi prestar um auxílio e suporte totalmente voluntário para fortalecer a festa mais popular da cidade.

Também sou jornalista e tenho o maior respeito e admiração pelo DIARINHO, pelos seus editores, diretores, colunistas e repórteres. Mas não admito que, depois de mais de 11 anos de muito trabalho árduo e estudo, minha idoneidade nem a de meu sócio sejam questionadas. Conheço os meus direitos e deveres como cidadã e como profissional e tenho plena consciência de que em momento algum agi de forma antiética ou muito menos imoral, simplesmente por enviar um e-mail aos nossos contatos. Pelo contrário, agi de maneira consciente e prestativa para com o município de Penha.

Não lhe conheço pessoalmente. Você não conhece a minha história e muito menos a minha trajetória profissional. Entendo que o senhor tem total direito de se expressar, mas o que é antiético e imoral é utilizar o nome de uma empresa e de pessoas que trabalham há anos com honestidade e respeito para falar inverdades.

Na sua coluna o senhor diz: “Será que tudo isso é por amor a Penha?

Pelo que sei, não tem ninguém que trabalha de graça…”. Respondo que, acima de qualquer recompensa financeira, em toda a minha vida profissional sempre trabalhei porque gosto do que faço e, sim, faço por amor. E se posso ajudar na divulgação da festa, se isso não vai atrapalhar ou interferir no trabalho dos meus clientes na empresa, faço e continuarei fazendo o que estiver ao meu alcance para prestar esse apoio à administração municipal e à comunidade, tanto como secretária de turismo quanto empresária. É uma pena e muito triste que o senhor pense que todas as pessoas trabalham única e exclusivamente por dinheiro.

Se quer reunir provas, fique à vontade para investigar a minha vida profissional e financeira porque sempre trabalhei com total transparência.

Inclusive, estou às ordens para te dar todas as informações necessárias.

Agora, por favor, não venha denegrir o nome de uma empresa e de pessoas que batalham (e muito) para conquistar seu espaço no mercado de trabalho.

Por esse motivo, gostaria que houvesse uma retratação de sua parte e, mesmo com esses comentários inverídicos sobre a minha “conduta”, continuo à disposição para prestar informações à sua coluna e ao DIARINHO.”

Ass: Larissa Andrade,

secretária de Turismo de Penha

(Transcrito ipsis litteris)

  •  

Deixe uma Resposta