• Postado por Tiago

CAPA-BASE-CARICARURA-01

O secretário da saúde da Maravilha do Atlântico, José Roberto Spósito, não vai mais dar nenhuma declaração à imprensa sobre as medidas tomadas pra conter a proliferação da gripe porca na city. Desde ontem, só a assessoria de imprensa da prefa, que trampa pertinho do gabinete do prefeito Edson Periquito (PMDB), tá autorizada a passar informações.

O bafafá rolou depois que Spósito anunciou aos quatro ventos, na terça-feira, que bares e boates que não tivessem área ao ar livre seriam fechados a partir do dia 17 de agosto. ?Nas casas noturnas o espaço é restrito e há pouca circulação de ar. Precisamos de no mínimo um metro de distância entre uma pessoa e outra pra evitar que haja contaminação?, justificou.

A afirmação deixou os donos das baladinhas de cabelo em pé. Alguns chegaram a telefonar pras rádios do Balneário e sentaram o pau na medida. Diante da polêmica, o prefeito-ave desmentiu o secretário e garantiu que os botecos permaneceriam abertos, pelo menos por enquanto.

Por conta do bafafá, agora as informações sobre o combate à nova gripe são exclusividade da assessoria de imprensa. ?Não haverá mais declaração de secretário pra evitar equívocos?, disse o mandachuva da comunicação no paço da rua Dinamarca, Rafael Weiss.

Não tava errado

Apesar da boca grande de Spósito, Rafael garante que o secretário não trocou os pés pelas mãos ao anunciar algo que ainda não tinha sido decretado pelo prefeito. ?Ele é a autoridade máxima de saúde, e foi absolutamente técnico. Se dependesse do secretário, as casas noturnas fechariam?, comentou.

O assessor diz que o falatório dos donos de boates nas rádios influenciou a decisão de Periquito de melar os planos do abobrão. ?Ele passou o dia avaliando toda a situação. Mas mesmo que não houvesse pressão, o prefeito só decretaria o fechamento se ficasse comprovado que a medida é eficiente?, lascou Rafael.

Pelo sim, pelo não, a possibilidade de fechar os bares e boates não foi totalmente descartada. ?Mas se acontecer será uma decisão em conjunto com a sociedade?, garantiu o assessor.

  •  

Deixe uma Resposta