• Postado por Tiago

Paulo Praun, secretário de planejamento e desenvolvimento urbano, disse que a vistoria não tem o objetivo de expulsar Fátima, mas apurar as irregularidades. “A casa já tinha sido embargada no ano passado e a situação ficou pendente. Então, retomamos o caso para que ela faça as correções necessárias para permanecer no terreno”, alegou.

Fátima disse que já tem uma multa de mais de R$ 500 na prefeitura por ter transportado sua casa de madeira pra lá. “Paguei R$ 2 mil pro cara trazer a casa e porque ele não tinha licença, eu que tenho que pagar?!”, questiona. Agora ela espera que a prefeitura dê um jeito pra ela tocar a vida em frente. “Enquanto eu não puder arrumar minha casa que tá caindo, não vou ter paz”, conclui.

  •  

Deixe uma Resposta