• Postado por Tiago

Questionado sobre a demora em atender o pedincho do povão pra tirar de uma vez a ponte do papel, Claudir diz que a prefa tinha outras prioridades. “Demos preferência pra obra de macrodrenagem e pro plano de habitação”, soltou. Ele calcula que a licitação da ponte sai no próximo mês. “Vamos fazer o possível pra ser em setembro”, garante.

O secretário reclamou que a ponte vai servir tanto pro pessoal do Balneário quanto de Cambu, mas é só a prefa da Maravilha do Atlântico que vai desembolsar os custos. “Os moradores também poderiam chamar as autoridades de Camboriú a participar”, carca.

Ontem a prefeita da capital da pedra, Luzia Coppi Mathias (PSDB) tava em Brasília e não foi encontrada pra comentar o caso. Mas ela já tinha afirmado que a city não tem como colaborar com o Balneário na empreitada por falta de grana.

Quem não tá nada feliz com a demora é o pessoal que depende da balsa todos os dias, e conta com a chegada da ponte pra ter um pouco mais de conforto. “A gente tem que atravessar debaixo de sol e chuva, é difícil”, conta o pedreiro Alberto Carlos, 43 anos.

Ele diz que o problema é pior à noite. “Aqui ninguém pode nem ficar doente depois da meia-noite, porque não passa pro outro lado”, reclama. Ele acha que o que falta pros abobrões é sentir a dificuldade na pele. “Eles demoram com as coisas porque não tomam chuva aqui que nem a gente”, conclui.

  •  

Deixe uma Resposta