• Postado por Tiago

A polícia já sabe que seis trastes participaram do linchamento do pedreiro Marciano Dezulinski, 25 anos, quarta-feira pela manhã. O coitado foi morto a pauladas depois de ser acusado de ter furtado uma bicicleta. O linchamento aconteceu na rua Cristiano Nascimento, no Brejo, bairro Cordeiros, em Itajaí.

A polícia não descarta a hipótese de que a morte esteja relacionada ao tráfico de drogas. O delegado da 2ª delegacia, Procópio Batista da Silveira Neto, explica que apesar de saber que foram seis as pessoas envolvidas no linchamento, a polícia ainda não identificou quem incitou o povão a surrar o coitado até a morte. A investigação está ouvindo as testemunhas, pra tentar chegar aos safados que estimularam o povão a espancar o coitado até a morte. Pra polícia, só o furto de uma bicileta não seria motivo para cometer um ato de selvageria como o que tirou a vida do coitado do pedreiro. “Estamos investigando todas as possiblidades”, garantiu o delegado.

Marciano teria passado a mão grande em uma bicicleta. Ao ver a safadeza, o povão saiu em perseguição ao pedreiro. Desesperado, Marciano entrou na casa de uma tiazinha que mora no bairro, mas foi escorraçado pela mulher assustada. Quando saiu na rua, começou a selvageria. Ele ainda conseguiu se livrar dos agressores, correu cerca de 30 metros, mas não guentou o tranco e caiu morto, estirado no meio da rua.

Durante o espancamento, os agressores tiraram a corrente da bicicleta que foi usada como uma espécie de açoite para surrar o infeliz. Os milicos foram chamados para atender a ocorrência, mas ao chegar ao local da brutalidade não tinham mais nada a fazer pelo coitado.

  •  

Deixe uma Resposta