• Postado por Tiago

O radialista Sérgio Murilo, que no feriadão retornou à Floripa após passar uma semana no México, onde foi com um grupo de jogadores participar da Copa Caribe de Futebol, conta que em Cancun, onde ele tava, não rolou o alardeio que aterrorizou um monte de gente naquele país e provocou, inclusive, o fechamento da capital. “Saímos de Cancun e no aeroporto de Cidade do México alguns funcionários do aeroporto nos atenderam com máscaras. Outros não. E mais, a gripe criou um comércio absurdo. Uma máscara simples chega a ser vendida por 15 dólares”, comenta.

De acordo com Sérgio, nem ele e muito menos os times que foram participar do evento tiveram contato com alguém lá praquelas bandas que tava com a peste. “E no aeroporto é feito um exame que analisa o pescoço, a garganta, por fora mesmo. Ali eles avaliam se a pessoa tem algum tipo de infecção que possa obrigá-la a ir para o isolamento”, encerra. 

  •  

Deixe uma Resposta