• Postado por Tiago

A morte literalmente bateu à porta da casa do Djones de Souza, 21 anos. O rapaz foi assassinado com três tirombaços depois de ser chamado para sair pra fora por dois desafetos, na rua Agenor de Borba, no bairro Areias, em Camboriú. O crime rolou noite de domingão.

Parentes da vítima contaram aos meganhas que Djones tava na buena dentro da sua baiuca quando dois carinhas o chamaram ao lado de fora. O rapaz assinou o atestado de óbito quando decidiu sair à rua para ver quem tava gritando. Ao chegar ao portão, dois sujeitos montados numa motoca o aguardavam trepados na cabrita. O caroneiro sacou um trabuco e mandou três balaços certeiros contra a vítima.

Duas das azeitonadas cravaram na barriga de Djones e a terceira atravessou o ombro direito. Os tiros que atingiram a buchada do rapaz atingiram os órgãos vitais. O coitado não guentou o tranco e caiu no quintal mortinho da silva, em meio a uma poça de sangue.

A polícia Civil fez uma busca no local e o corpo foi encaminhado pra perícia do instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú.

Enquanto a polícia Militar era chamada pela vizinhança, os bandidos simandaram de moto sabe Deus pra onde. Os meganhas ainda realizaram rondas pela região, mas não acharam nem rastro dos malencarados. A galera que vive na vizinhança jura de pés juntos que não viu o crime. Testemunhas disseram à polícia que só ouviram os tiros e o ronco da cabrita dos matadores.

Djones trabalhava como servente de pedreiro, mas pra polícia ele não era flor que se cheire. Colecionava passagens por furto, sendo que sua especialidade era surrupiar motocas.

Por estar envolvido com a bandidagem, os homisdalei trampam com a hipótese de acerto de contas do mundo do crime. A polícia vai ouvir os parentes da vítima nos próximos dias pra tentar descobrir se o rapaz estava devendo pra algum desafeto de pavio curto.

  •  

Deixe uma Resposta