• Postado por Tiago

PAGINA-10-ABRE--simulacao-porto4

Milicos bizolharam de perto o sistema de segurança

Desde ontem, todos os funcionários da Portonave e quem desejar visitar o terminal tá passando por um esquema de segurança rigoroso dos milicos da marinha. A medida faz parte dos exercícios de simulação realizado pelo pessoal da Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí que vai testar o sistema de segurança do porto dengo-dengo e aproveitar pra treinar os militares pra situações de emergência, como uma possível invasão de terroristas.

O comandante Jayme Alves, do grupamento de fuzileiros navais do Rio Grande e do grupo de controle dos exercícios de simulação, disse que a atividade rola em diversos portos brasileiros pra assessorar a segurança portuária e pra que os militares estejam preparados pra agir em situações especiais. ?Porto é uma questão vital pra economia brasileira e uma das tarefas da marinha, a mando do presidente da república, é garantir a lei e a ordem e manter a proteção e a operacionalidade dos portos?, afirmou.

Ele explicou que, pro exercício, o porto de Navegantes foi totalmente ocupado por militares da Marinha e o objetivo é evitar que invasores ? militares disfarçados ? consigam invadir o local pra alguma ação terrorista, como a implantação de bombas em pontos estratégicos. De acordo com o comandante Jayme, existe uma divisão desses pontos em três classificações. ?Os pontos sensíveis vitais são aqueles que, se sofrerem alguma interferência, o porto para, como a energia do terminal. Depois vem os pontos essenciais, como as esteiras e outras áreas operacionais, e os pontos secundários, que não afetam tanto a operacionalidade?, explicou.

Outro objetivo da simulação, segundo o comandante, é preparar o capitão-de-fragata Alexandre Herculano Pinto Malizia Alves, delegado da capitania dos portos, a estar no comando das operações caso haja alguma ameaça à segurança dos portos. ?Estamos adestrando as tropas. Assim, caso haja a necessidade da Marinha intervir na defesa do terminal, os militares já terão o conhecimento das áreas mais sensíveis e que necessitam de apoio maior?, completou.

Lélio Esteves Egypto Rosa, gerente de segurança da Portonave, afirma que a operação só tem a contribuir com o trabalho que já vem sendo feito no terminal, pois pode detectar alguma falha ou alguma área vulnerável. Oficial da reserva da Marinha, Egypto conta que o porto de Navegantes investiu 5 milhões de reais em segurança e tem 65 funcionários envolvidos na área. ?Temos 140 câmeras monitorando 24 horas todas as áreas e fomos um dos primeiros portos do Brasil a receber o certificado internacional de segurança nos portos, aplicado depois dos ataques terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos?, contou.

  •  

Deixe uma Resposta