• Postado por Tiago

O principal suspeito de ter surrupiado duas pastas recheadas de documentos do hospital Santa Inês, na madrugada do dia 18 de novembro, deu bolo ontem no delegado Arthur Nitz, que investiga o caso. O dotô acreditava que o plá com o cara poderia esclarecer alguns pontos e diz que vai marcar uma nova data pra ouvi-lo.

A mão grande rolou na sala do departamento jurídico do hospital, que foi invadida por duas pessoas na calada da noite. Os larápios entraram pelos fundos do Santa Inês, pertinho do necrotério, e teriam contado com uma ajudinha de um chaveiro pra poderem abrir a porta. Eles saíram carregando os papélis nas mãos.

Toda a ação foi gravada pelas camerazinhas bizolhudas do hospital. As imagens foram encaminhadas pro delegado Arthur, que passou a ouvir os funcionários do Santa Inês pra tentar pescar alguma informação importante.

Foi então que ele identificou o suspeito número um, que não teve o nome revelado. O cara, que é médico, foi chamado pra sisplicar ontem à tarde, mas deixou o delegado a ver navios. “A primeira intimação foi entregue no consultório dele. Agora vamos ter que entregar uma nova intimação, pessoalmente”, avisou.

O delegado espera que o plá com o suspeito ajude a explicar o que rolou. “Por enquanto não temos nenhuma novidade. Vamos ver o que ele tem a dizer”, disse.

Bafafá dos grandes

Coincidência ou não, as pastas sumiram horas depois dos vereadores de Balneário Camboriú terem lançado a ideia de fazer uma comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pra bizolhar as contas do Santa Inês. Entre os papélis que sumiram tavam contratos, dados da contabilidade e informações sobre o pagamento dos funcionários.

  •  

Deixe uma Resposta