• Postado por Tiago

O empresário V. S., do ramo de autopeças, não sabe mais o que faz com a cobrança de tantos juros e taxas. O comerciante de Itajaí anda numa fase meio crítica e acabou atrasando uma conta. Quando chegou a cobrança do título em cartório, V. se assustou. A sua dívida aumentou em quase 100 reales por causa das taxas aplicadas pelo cartório. “É muito dinheiro que se paga a mais. É um abuso”, disse.

O peixeiro diz que a sua conta era de R$ 450 e passou pra R$ 548,32 num piscar de olhos. O dindim acrescentado diz respeito ao trabalho de protocolização, digitalização, juros, condução e diligência. “Só pra entregar o título em atraso aqui na empresa me cobraram R$ 54,72. Isso que o meu comércio fica aqui em Itajaí, perto do cartório. Não tem como, né?!”, reclama.

Tudo tabelado

A assessoria de imprensa da Corregedoria Geral de Justiça explica que a lei estadual 156/2007 determina a cobrança tabelada das taxas em Santa Catarina.

A rapaziada alegre da assessoria da Corregedoria informou ainda que existe muita confusão entre a cobrança da taxa de diligência e condução. A primeira diz respeito ao serviço de intimação e a segunda é o preço cobrado pela entrega do documento.

Quem tiver interesse em ver de pertinho a tal tabela de taxas é só acessar o saite www.cgj.tj.sc.gov.br

  •  

Deixe uma Resposta