• 10 dez 2009
  • Postado por Tiago

CONTRA-ABRE---s---marcílio-dias-taça-entregue---foto-Seth-Cohen-(1)

DIARINHO arruma e devolve taça do vice-campeonato catarinense de 2000 ao Marcílio Dias. Presidente do clube agradeceu e já colocou troféu de volta à galeria rubro-anil

Vários anos se passaram e finalmente o troféu do vice-campeonato do Catarinense de 2000 tá de volta ao Gigantão das Avenidas. Entregue anonimamente ao DIARINHO, a taça do Marcílio Dias foi devidamente devolvida ao presidente do Marinheiro, Abelardo Lunardelli, ontem à tarde, na sala de troféus do clube, local de onde o símbolo daquela importante conquista nunca devia ter saído. ?Isso é muito importante, foi um resgate da história do Marcílio Dias. Agora, que seja tratado com mais carinho?, diz Abelardo.

Ex-presidente do Rubro-anil entre 2003 e 2005, Normélio Weber ? além de atuais funcionários do clube ? afirma que o troféu não estava no Hercílio Luz desde que os irmãos Egon e Valdemar da Rosa deixaram a presidência, respectivamente em 2000 e 2002. Já Egon garante que não levou nenhum troféu embora.

Na época em que Normélio assumiu, todas as taças do clube foram achadas abandonadas debaixo de uma escadaria do estádio. ?Espero que agora o torcedor marcilista tenha a impressão que o patrimônio do clube está bem cuidado?, manda o atual presidente.

Conquista restaurada

Antes de retornar ao clube, a taça do vice-campeonato estadual foi dar uma voltinha por Blumenau. Lá, a galera do MACRIADO pediu pra que a Troféu de Cristal, empresa que fez a taça, restaurasse a peça, deixando-a bem bonitona pra novamente figurar na sala de troféus marcilista. Na maior boa vontade, a empresa blumenauense fez a restauração na faixa.

Felizão com o gesto, o presidente do Marinheiro reconheceu a importância que a viadagem teve no resgate de parte da história do clube peixeiro ?Agradecemos a boa vontade do DIARINHO pela pesquisa e restauração do troféu. Estamos felizes por ter mais um filho em casa?, fala o doutor.

Museu à vista

Juntamente com as taças da copa Santa Catarina e da recopa Sul-Brasileira de 2007, que também voltaram ao clube muito graças a uma ajudinha do DIARINHO, o troféu do vice-campeonato de 2000 foi colocado ao lado da taça Luiza Mello, o símbolo da única conquista do campeonato catarinense, de 1963. Mas o local em que as duas taças se encontram agora deve mudar. ?Podemos criar um local permanente para os troféus. Podíamos resgatar uniformes, fazer um pequeno acervo?, comenta Abelardo.

Além de preservar a história, um possível museu também ajudaria financeiramente o clube. ?Reservar um espaço dá dinheiro mesmo, como na Europa. Daqui pra frente, o patrimônio do clube será guardado e mantido com muito carinho?, garante o presidente.

Mesmo assim, falta muita coisa pra que a história marcilista seja totalmente resgatada, já que apenas 50% dos troféus conquistados pelo clube tão no Gigantão, como diz seu Antonio Feltrin, funcionário símbolo do Marcílio.

  •  

Deixe uma Resposta