• Postado por Tiago

A manicure Osélia Teixeira, 40 anos, mete bronca da névoa fedorenta que se forma nos céus de Camboriú todo santo dia. Ela diz que a fedentina vem da fumaceira que sai da queima de pneus velhos, que tá rolando na mó caruda na região do morro do Abacaxi. “Não tem quem aguente o cheiro e a fuligem”, siqueixa.

Osélia mora no bairro Cedro, mas diz que o futum pode ser sentido em toda a cidade. “Além do cheiro insuportável, aquilo gruda em tudo. É um horror”, lasca.

A leitora diz que a queimação rola sempre na hora do almoço e no finalzinho da tarde. Diz que já reclamou da sacanagem pra secretaria de meio ambiente da capital da pedra, mas de nada adiantou. “Já cansei de reclamar, mas ninguém toma providências. Eles sabem os horários em que vem a fumaça, mas dizem que não conseguem flagrar ninguém queimando a borracha”, carca.

Tão de olho

Márcio Rosa, secretário de Obras, reconhece o problema. “Já sabíamos que isso tava acontecendo. Mas a fiscalização passou por lá duas ou três vezes e não conseguiu flagrar nada”, afirma. Márcio diz que deixou o telefone dos barnabés com os moradores da região, pra poder pegar o responsável no pulo, mas nada teve resultado.

José Pedro Costa, chefão do setor de meio ambiente da prefa, diz que decidiu cercar a área onde acredita que estejam rolando as queimadas. “Já falei com a prefeita (Luzia Coppi Mathias, PSDB) e vamos ter que apelar pra essa medida pra tentar coibir as queimas”, comenta.

Ele informa que a queimar pneus é crime ambiental. Quem for pego com a boca na botija pode levar uma baita multa e ter a caranga usada pra transportar a pneuzada apreendida.

  •  

Deixe uma Resposta