• Postado por Tiago

Governo e representantes do setor ligado à pesca discutem alternativas de ampliação da capacidade de estocagem das indústrias. Desta vez o perrengue é por conta da fartura do peixe. Mal acostumados a lidar com esta situação, a galera das indústrias beneficiadoras, armadoras da pesca, empresas de pesca e governo tão quebrando a cabeça pra não desperdiçar o escamoso.

O armazenamento de sardinha em frigoríficos de carne que estejam ociosos, a venda direta ao consumidor e o semi-processamento antes da venda às indústrias são algumas das alternativas que serão analisadas. As propostas foram feitas pelo setor durante reunião com o ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin, em Itajaí, para melhorar o aproveitamento da captura da espécie.

Pra se ter uma ideia, a sardinha andava tão desaparecida da costa brasileira que chegou a uma produção de apenas 17 mil toneladas em 2000. Pois este ano, até dezembro, tá prevista a captura de mais de 90 mil toneladas.

A corrida agora é contra o tempo pra garantir o aproveitamento do alimento. O governo vai estudar também a possibilidade de liberar uma grana pra que as indústrias possam ampliar a capacidade de armazenamento de forma a absorver o aumento da produção.

  •  

Deixe uma Resposta