• Postado por Tiago

Chizel01

O monstrengo tem uma porrada equivalente a 10 toneladas

As empresas Triunfo, Serveng e Constremac, que formam o consórcio responsável pela demorada obra de recuperação do porto de Itajaí, estão usando uma talhadeira gigante para tentar demolir os blocos de lajes que impedem a continuação das obras dos novos berços de atracação. Chamado de Chizel, o equipamento é movido a óleo diesel, tem um peso aproximado de 3,5 toneladas e a porrada da sua lâmina supera as 10 toneladas.

Os técnicos do consórcio acreditam que o talhadeira poderá rachar os blocos, que chegam a uma profundidade de 22 metros. A administração do porto de Itajaí, em nota oficial, divulgou que a demolição vai levar 60 dias.

Além de rachar os blocos, a peãozada do consórcio ainda terá que retirar aproximadamente 1,3 mil metros cúbidos de escombros do fundo do rio. Pra recolher os entulhos, um outro monstrengo começa a operar esta semana: a escavadeira subaquática Clan-shel. Tanto ela quanto a talhadeira gigante foram alugadas da empresa carioca 7seas.

O porto de Itajaí teve sua área de atracação levada pelas águas do rio Itajaí-açu durante a enchente de novembro do ano passado. Um dos depósitos também ficou comprometido e foi demolido.

  •  

Deixe uma Resposta