• Postado por Tiago

Os equipamentos de proteção individual

É incrível que seja necessário ter um chefe ou um colega de trabalho que tenha como uma de suas atribuições a conferência e acompanhamento do uso de equipamentos de proteção individual (EPI). Incrível porque o próprio nome já nos diz para que serve e por isso não deveria ser necessário ter alguém para “cobrar” seu uso. Todos que executam algum trabalho que exija o uso destes equipamentos deveriam ter consciência da importância para sua saúde e segurança, e exigir das empresas o fornecimento dos equipamentos.

Os EPI são ferramentas de trabalho que visam proteger a saúde e dar segurança do trabalhador. Algumas pessoas preferem não usá-los em função de algumas dificuldades que podem provocar. Por exemplo: capacete no calor ou as luvas para trabalhos delicados. Mas é preciso conscientizar-se de que é o uso destas ferramentas que irá prevenir problemas de saúde e acidentes.

Se você trabalha com produtos tóxicos deve estar atento às principais vias de intoxicação, que são a inalatória (nariz), oral (boca), ocular (olhos) e dérmica (pele), e proteger-se. Vários são os casos de trabalhadores que desenvolvem doenças devido à falta de proteção e contato com produtos tóxicos. Mesmo aqueles que parecem mais inofensivos, usados com frequência, podem causar dificuldades. Depois que se instala a doença, é muito mais difícil sanar o problema que, muitas vezes, interfere não só na vida profissional, mas também em atividades da vida pessoal. Isso sem falar das doenças crônicas, sem cura ou fatais, que podem se desenvolver se os devidos cuidados não são tomados.

E se o seu trabalho oferece riscos de acidentes, não deixe nunca de utilizar sapatos fechados, capacete, cinto de segurança entre outros equipamentos que podem ser necessários, de acordo com o tipo de risco a que você está exposto.

Muitos dos equipamentos parecem não ser necessários, mas seu uso já salvou muitas vidas e evitou muitas doenças. Por isso foi determinado por lei a utilização obrigatória dos EPI. Agora, coloque a mão na consciência e passe a fazer uso desses equipamentos que são um direito seu e não uma obrigação.

Taísa da Silva Cassol é psicóloga

clínica e organizacional

CRP 12/06288 [taisapsico@gmail.com]

  •  

Deixe uma Resposta