• Postado por Tiago

Se você está pensando em procurar um banco e se enfiar num papagaio, aproveite pois esse é o momento. Pelo menos até final do primeiro trimestre do ano que vem ou no máximo no começo do segundo semestre, as taxas de juros se manterão estabilizadas no país. A previsão é do analista de finanças e consultor de investimentos Edward Mundy.

O analista acredita que a partir de março de 2010 o governo volte a aumentar a Selic, que é usada como referência para a taxa básica de juros no Brasil. A medida, explica Mundy, terá como objetivo conter a expansão do crédito e manter adormecido o dragão da inflação no país.

Para Mundy, o governo acertou quando, em plena crise econômica, baixou a Selic. Isso fez com que houvesse maior oferta de crédito e os investimentos no setor produtivo ocorressem. A baixa da Selic também ajudou no aumento do consumo interno.

O problema, diz ele, é que muito dinheiro na praça provoca um fenômeno chamado de crise de demanda. Ou seja, o consumo aumenta mais do que a oferta de mercadorias. Isso, faz a inflação subir no país e é por esta razão, aponta, que o governo aumentará a Selic pra frear o crédito e o consumo.

Pesquisa comprova estabilidade dos juros

Uma pesquisa da procuradoria de Defesa do Consumidor (Procon) do governo do estado de São Paulo, confirma a tal da estabilidade dos juros apontada pelo analista de finaças Edward Mundy. No comecinho deste mês, a taxa média para os empréstimos pessoais nos 10 maiores bancos do país se manteve a mesma de novembro. Os juros dos cheques especiais, em média, baixaram a merreca de 0,01 ponto percentual.

A queda na facada do cheque especial foi de responsabilidade da Caixa Econômica Federal. O banco, que é do governo federal, também pratica as menores taxas tanto pros borrachudos especiais quanto pros empréstimos pessoais. Na média, os cheques especiais têm juros de 8,78% ao mês. Os empréstimos pessoais estão em 5,17%, que é a mesma média de novembro.

As instituições pesquisadas foram o banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco.

Inflação subindo

Outro dado que confirma as afirmações do analista é o resultado da inflação oficial, divulgada ontem pelo governo. O índice de preços ao consumidor amplo (IPCA) encerrou novembro com uma alta de 0,41%, uma elevação de 0,28% se considerar outubro. Em novembro do ano passado, o IPCA foi de 0,36%. Isso quer dizer que o dragão da inflação anda de sono leve no país e, se o governo não tomar medidas de controle, pode acordar a qualquer momento.

Veja qual é o banco mais careiro

Bancos

Empréstimo Pessoal

(ao mês)

Cheque Especial (ao mês)

Banco do Brasil

4,48%

7,65%

Bradesco

5,34%

8,24%

Caixa Econômica Federal

4,39%

6,72%

HSBC

4,61%

9,34%

Itaú

5,86%

8,59%

Nossa Caixa

4,48%

7,65%

Real

5,63%

9,38%

Safra

5,40%

12,30%

Santander

5,63%

9,38%

Unibanco

5,86%

8,59%

Fonte: Procon / SP

Data da coleta: 02/12/2009

  •  

Deixe uma Resposta