• Postado por Tiago

Montanha de porqueira e futum insuportável preocupa abobrão da prefa

Quem passa pela avenida Governador Adolfo Konder, no bairro São Vicente, em Itajaí, não tem como não olhar pra montanha de lixo que se acumula na esquina com a rua João Américo Watzko. Tem de tudo o que se possa imaginar. Pra deixar o negócio ainda pior, um fedor insuportável se espalha pela vizinhança. Foi pra combater a ação do povão porco que tá transformando os bairros da cidade em lixões clandestinos que os abobrões da prefeitura tomaram uma decisão: a partir de março, uma equipe será formada para fiscalizar os terrenos e lascar multa em quem for flagrado fazendo a sacanagem.

Na Américo Watzko, o problema não é de hoje, garante o secretário de Obras Tarcízio Zanelato. ?Em junho nós limpamos aquele terreno baldio por inteiro. Cerca de três meses depois, tivemos que limpar novamente e agora já está sujo mais uma vez?, disse o bagrão.

O local tá mesmo virado num alho. Tem restos de móveis, tijolos, papelão, roupas, fraldas cagadas, comida e até pedaços de asfalto. Tudo isso em meio a uma meleca de lama provocada pelas chuvas constantes. Daí, basta bater um solzinho pra catinga se manifestar.

Tarcízio Zanelato, secretário de Obras da prefa peixeira, disse ao DIARINHO que é difícil identificar quem são os porcalhões que fazem a cagança. O local é vítima constante da ocupação de ciganos e moradores sem-teto, afirma o secretário, insinuando que o povo pode estar ajudando a formar os lixões.

Além dos ciganos e dos sem-teto, diz ainda o secretário, durante a madruga moradores da cidade se aproveitam da falta de fiscalização e depositam a lixarada por lá. ?Nós já conversamos com o proprietário do terreno e pedimos que construa uma cerca ao redor da área, assim fica mais difícil de as pessoas usarem o local como lixão?, informa Zanelato.

Equipe vai caçar porcalhões

O secretário de Obras peixeiro adiantou ao DIARINHO uma novidade que vai pegar os porquinhos pelo rabo. ?A partir de março nós vamos ter uma equipe de fiscalização só pra cuidar dos terrenos baldios, locais de entulhos e lixões. Quem for pego poluindo a cidade vai ser notificado e pode até levar multa?, avisa.

Zanelato disse que mesmo um ano depois da enchente, Itajaí ainda possui muitos pontos servindo de lixões, principalmente terrenos baldios. ?Os proprietários de terrenos também terão que se responsabilizar. Manter os locais limpos e cercados, se possível?, afirmou.

O abobrão tá cabreiro com a lixarada e diz que a ideia de criar a equipe de fiscalização é justamente pra dar fim nos terrenos que têm servido de lixão. ?No ano passado foram mais de 28 mil viagens de caminhões carregados com entulhos. A enchente terminou, não tem mais desculpa. Os moradores têm que se conscientizar de que não se pode jogar lixo nos terrenos baldios?, desabafa o secretário.

  •  

Deixe uma Resposta