• Postado por Tiago

Novela sobre os podres de Fernando Collor de Mello, censurada em 1993, volta em forma de livro

Quem tem menos de 20 anos não sabe porque o nome Fernando Collor de Mello dá arrepios à geração dos cara-pintadas, que levou o ex-presidente ao impeachment. Mas um livro contando a saga de Collor, que voltou ao senado este ano, deve elucidar este capítulo nebuloso da política brasileira. José Louzeiro, que escreveu a novela “O Marajá” para a TV Manchete, vai contar em livro os bastidores da novela, censurada em 1993.

“O Marajá”, batizada assim porque Collor se dizia “O caçador de marajás”, chegou a ter 10 capítulos gravados, mas as fitas sumiram. A trama foi impedida de ir ao ar poucas horas antes da estreia e mesmo sem ter visto nenhum capítulo, o ex-presidente conseguiu brecar a parada na dona justa.

Um dos detalhes revelados no livro é que o próprio departamento comercial da emissora ajudou a boicotar a novela. Sem que os autores nem Marcos Schetman (diretor de “Caminho das Índias”) fossem consultados, foi colocada no ar uma chamada cabulosa, que ouriçou as aves de rapina da censura. Nela, uma enfermeira levava supositórios de cocaína pra Collor numa bandeja de prata, papo que rolava à boca pequena. Pra quem não sabe, a TV Manchete era conhecida pelas novelas de temática picante, como “Dona Beija”, que eram exibidas tarde da noite.

  •  

Deixe uma Resposta